Diversas contas do Twitter, incluindo de grandes marcas e instituições, foram invadidas nesta noite. O perfil da Universidade Duke, de grandes redes de fast food e até a Nike Espanha foram hackeadas, com tweets incluindo suásticas e referências ao dia 16 de abril, data em que um referendo será realizado na Turquia para dar mais poder ao presidente Erdogan.

• Como a tentativa de golpe na Turquia foi transmitida pela internet
• O CEO do Twitter teve sua conta suspensa na própria rede social

dukeScreenshot da conta oficial da Universidade Duke depois de ter sido invadida no começo da noite

Os tweets foram publicados em turco e incluem as palavras “Alemanha Nazista” e “Holanda Nazista”, provavelmente se referindo às eleições nos Países Baixos e nos recentes conflitos diplomáticos entre a Turquia e Holanda. Os hackers postaram um link para um vídeo do YouTube e para a conta @sebomubu do Twitter, que já foi suspensa.

Algumas contas conseguiram recuperar o acesso rapidamente após o ataque, como a Forbes. No entanto, demorou um pouco até que restaurassem tudo e por um tempo a conta da agência de notícias exibia o avatar padrão de ovo.

forbesScreenshot da conta oficial da Forbes depois de ter sido recuperada

A invasão se espalhou bastante, afetando contas verificadas como a da Anistia Internacional, de algumas celebridades e até jogadores de futebol. Uma forma de monitorar as contas invadidas era procurar pelas hashtags #Nazialmanya e #Nazihollanda.

anistiaScreenshot da conta oficial da Anistia Internacional depois de ser invadida

Essa semana foi extremamente conturbada nas relações entre a Turquia e Holanda. Os turcos vão às urnas no mês que vem, no dia 16, para decidir se o presidente Erdogan deve ganhar mais poderes. Na preparação dessa votação, diplomatas turcos na Holanda têm liderado atos de campanha em favor a Erdogan, mirando as pessoas de origem turca que vivem no país. No entanto, autoridades holandesas barraram ministros turcos, esquentando o clima entre as duas nações.

“A comunidade turca e nossos cidadãos foram submetidos a um mau tratamento, com métodos desumanos e humilhantes utilizados numa intervenção desproporcional contra as pessoas que estavam exercendo seus direitos de protestar pacificamente”, disse um comunicado turco depois da situação na Holanda.

starbucks-argentinaScreenshot da conta oficial da Starbucks Argentina depois de ter sido invadida

O usuário Rob Lopez no Twitter apontou que o ataque parecia vir por meio de uma vulnerabilidade num aplicativo chamado Twitter Counter. O serviço publicou algumas horas depois que eles realmente foram hackeados: “Nós sabemos que nosso serviço foi invadido e começamos uma investigação sobre o caso. Já tomamos iniciativas para conter esse abuso”.

Apesar do Twitter Counter afirmar estar resolvendo a situação, vale a pena rever as permissões do app na sua conta. Para isso, vá até “Configurações e Privacidade” e clique na seção “Apps”. Lá, você poderá desabilitar o acesso de aplicativos de terceiros.

O Gizmodo entrou em contato com o Twitter para saber sobre o caso e esta foi a resposta:

Sabemos de um problema que está afetando algumas contas. Nossas equipes estão trabalhando rapidamente e tomando ações diretas nesse problema. Localizamos rapidamente a fonte, que estava limitada a um aplicativo de terceiros. Removemos as permissões imediatamente. Nenhuma outra conta foi impactada. Dicas para manter sua conta segura podem ser encontradas aqui.

Não está claro ainda se os hackers estão ligados a alguma entidade do estado turco ou se esse é um trabalho independente de pessoas que apoiam Erdogan.

Imagem do topo: Chris McGrath/Getty Images