Respondendo a uma reclamação de longa data de diversos motoristas, a Uber anunciou nesta quarta-feira (19) que acaba de iniciar testes para implementar um recurso que mostra aos motoristas o destino do usuário antes do início da viagem.

As primeiras cidades a receberem a ferramenta para teste são da Região Sul: Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre, as três são as maiores cidades para a Uber na região. A partir desta semana, motoristas desses locais receberão informações do local de destino do usuário antes de ele entrar no veículo e iniciar o trajeto.

A reclamação dos motoristas em relação à falta de informações prévias acontecia especialmente pelo receio que muitos deles tinham de ter que levar um passageiro até um bairro que seja notoriamente perigoso. Se, por um lado, isso dá maior sensação de segurança para os motoristas, por outro tem o potencial de acentuar um problema de acessibilidade ao serviço por parte de usuários que moram em áreas que já sofrem com restrições no app e que também não são contempladas pelo sistema de transporte público. Para moradores dessas localidades, não é incomum que motoristas perguntem o destino e recusem a viagem. E, quando o pedido parte de um desses locais, os usuários não conseguem chamar corridas, dependendo do horário.

Em maio deste ano, por exemplo, a Zero Hora afirmou que pelo menos 11 bairros de Porto Alegre não conseguem chamar carros pelo aplicativo à noite, restrição que afetaria cerca de 390 mil habitantes. O mesmo acontece no Paraná, no Pernambuco e em outras localidades do Brasil. Em São Paulo, a situação chegou até mesmo à criação de um serviço alternativo por parte de moradores, a Ubra.

A Uber afirma que o objetivo com a novidade é ser mais transparente aos parceiros que usam o app para gerar renda no Brasil. Pequenos experimentos já têm sido feitos com grupos de motoristas em algumas localidades, de forma a definir um modelo que atenda às expectativas dos parceiros sem prejudicar o usuário. Agora, a escala dos testes irá subir.

Os testes deverão ser estendidos para outras cidades brasileiras nos próximos meses. Inicialmente, o novo recurso funcionará apenas nos smartphones de motoristas com sistema operacional Android.

Imagem do topo: Getty