A Uber anunciou nesta quinta-feira (24) o programa “Elas na Direção” para incentivar que mais mulheres sejam motoristas da plataforma. Entre as principais iniciativas estão opção para que as motoristas aceitarem corridas apenas de passageiras e facilidade na locação de veículos. O programa ainda está em testes e acontece inicialmente nas cidades de Campinas, Curitiba e Fortaleza, com planos de expansão para todo o Brasil em 2020.

Segundo Claudia Woods, diretora geral da Uber no Brasil, apenas 6% da base de motoristas da companhia é composta por mulheres. O programa é válido tanto para as motoristas já cadastradas quanto para as mulheres que querem dirigir para o aplicativo.

Para estimular a adesão, a Uber pagará o valor extra para as motoristas que realizarem suas 100 primeiras viagens e não atingirem R$ 1.500. O bônus será com a quantia necessária para chegar até esse valor.

Em um comunicado enviado à imprensa, Woods comenta que “​os desafios de segurança” são um dos motivos pelos quais poucas mulheres são motoristas da Uber. Por isso, a companhia vai lançar a ferramenta U-Elas, que permitirá que as motoristas aceitem corridas apenas de passageiras — a função estará disponível a partir de novembro.

“​Para se sentirem mais à vontade,​ as motoristas agora podem optar por levar apenas usuárias que se identificam como mulheres, sejam cis ou trans. A ferramenta U-Elas pode ser ligada a qualquer momento e estará disponível exclusivamente para parceiras mulheres. Esperamos que esse seja um primeiro passo para que, no futuro, tenhamos um número suficiente de mulheres dirigindo com a plataforma para também oferecer essa opção para usuárias mulheres com a mesma eficiência que é marca registrada da Uber”, disse Woods.

Além disso, a Uber fechou uma parceria com a Localiza Hertz, locadora de carros, para facilitar a entrada das motoristas no app. As mulheres que nunca realizaram uma corrida no app poderão alugar um carro com um preço inferior ao valor regular da categoria e não precisarão ter cartão de crédito para pegar o veículo.

O programa conta ainda com uma plataforma que oferecerá cursos online desenvolvidos em parceria com a Iniciativas Empreendedoras, a Rede Mulher Empreendedora e a economista Gabriela Mendes, fundadora da NoFront – Empoderamento Financeiro. Por fim, haverá uma rede com especialistas mulheres fazendo atendimento presencial nos Espaços Uber das cidades-piloto do projeto.