A Uber confirmou que, até o dia 8 de dezembro, motoristas mulheres que trabalham pelo aplicativo no Brasil poderão atender somente passageiras. A função, chamada U-Elas, estava em fase de testes em algumas capitais desde novembro do ano passado por meio do programa Elas na Direção, mas agora será expandida para todo o País.

De acordo com a empresa, a ferramenta U-Elas poderá ser ativada a qualquer momento, dentro do app do Uber, e só estará disponível para parceiras mulheres e de identidade não-binária. O Brasil foi o primeiro país do mundo a experimentar essa possibilidade no aplicativo de viagens, que por sua vez lançou a novidade em outros mercados na América Latina, como Argentina, Peru, Paraguai, Costa Rica e México.

“Entendemos que esse é um primeiro passo para que, no futuro, tenhamos um número suficiente de mulheres dirigindo para também oferecer essa opção para usuárias mulheres com a mesma eficiência que é marca registrada da Uber”, destaca Claudia Woods, diretora geral da Uber no Brasil, em comunicado à imprensa.

Antes de iniciarem uma corrida, as motoristas poderão habilitar a opção U-Elas no app do Uber. GIF: Uber

Campinas, Curitiba e Fortaleza já estavam na fase experimental do U-Elas há mais de um ano. De lá para cá, outros municípios ganharam a funcionalidade, entre eles Manaus, Juiz de Fora, Brasília, Belo Horizonte, Recife, Salvador, Porto Alegre e São Paulo.

A iniciativa Elas na Direção é um projeto criado em parceria com a Rede Mulher Empreendedora, no fim de 2019, e tem por objetivo fortalecer a comunidade de motoristas mulheres da Uber no Brasil. O programa ainda conta com uma plataforma educativa que oferece cursos online sobre empoderamento pessoal e econômico, desenvolvidos em parceria com a Iniciativas Empreendedoras, a Rede Mulher Empreendedora e a economista Gabriela Mendes.