Uma etiqueta, uma bandeja de plástico, um chassis de metal e um trajeto de quase 10 km percorridos. É mais ou menos um resumo do que passa a sua mala despachada até chegar ao avião.

>>> No futuro, os voos internacionais voltarão a ser divertidos
>>> A Airbus desenvolveu um avião que promete reduzir os horríveis efeitos do jet lag

Tudo começa na área para despachar a mala. Lá, é inserida uma etiqueta com um código de barras de 10 números. Três são referentes à linha aérea, seis são para identificar o passageiro e o restante contém algum tipo de informação referente ao seu tipo de bagagem —  por exemplo, se a mala tem prioridade.

esteiras-mala

Passando por isso, ela entra em um sistema de esteiras do aeroporto até chegar ao portão. Você pode ser perguntar, mas como é este processo? Bem, a mala é colocada em uma grande bandeja de plástico com um chassis de metal que tem uma identificação única. Durante o trajeto, uma série de escâneres verificam se o código da etiqueta bate com o número de código de barra da mala. Isso faz com que o aeroporto saiba exatamente onde a mala e a bandeja estão.

Porém, há ainda uma complicação. A mala precisa passar por um escâner de raio-X e, lembre-se, este recipiente conta com um chassis de metal. Nesta fase, uma espécie de robô retira a bagagem da bandeja e passa pelo escâner. Caso esteja tudo ok, que é o caso de 99% das malas, a bagagem volta para sua bandeja plástica e é direcionada para o portão do avião. Lá, operadores a colocam na aeronave.

No vídeo abaixo (em inglês), feito pela Smithsonian, é mostrado o passo a passo do processo: