O mês de junho foi agitado para o Vine: no início do mês, sua presença no Twitter enfim ultrapassou o Instagram. Ele ampliou a distância após o lançamento do app para Android.

Aí o Instagram ganhou suporte a vídeos.

Seu app para iOS e Android passou a compartilhar vídeos de até quinze segundos no dia 20 de junho. Nesse dia, os compartilhamentos do Vine no Twitter despencaram, e continuaram caindo até voltarem ao níveis de maio.

vine-instagram-topsy

Os números vêm da ferramenta de análise do Topsy, que calcula quantos links para o Vine e Instagram foram compartilhados no Twitter a cada dia.

Como o Vine é do Twitter, você pode assistir aos vídeos sem sair da rede social. (No Facebook, você precisa clicar no link.) Então há um estímulo maior para compartilhar os Vines no Twitter; e mesmo assim, o número despencou.

Além disso, o Twitter não exibe conteúdo do Instagram desde dezembro: você precisa clicar no link para ver as fotos e vídeos. Isso não impediu que, diariamente, cerca de 1,5 milhão de links fossem compartilhados no Twitter a cada dia. (No Facebook, o conteúdo do Instagram é integrado ao feed de notícias.)

RIP Vine?

O Instagram aprendeu com o Vine e seguiu vários caminhos para superá-lo. Primeiro de tudo, os vídeos já estão integrados no próprio app para iOS e Android que você conhece, usado por 130 milhões de pessoas; não é preciso baixar um app separado. (Enquanto isso, o Vine para Android demorou para chegar e ainda tem vários bugs.)

Ainda por cima, você pode editar vídeos (deletando trechos), aplicar filtros especiais e escolher uma imagem de capa – não precisa ser o primeiro frame. E tudo está disponível em seu perfil da web, ao contrário do Vine.

O Instagram não é necessariamente superior ao Vine. Postar vídeos é mais complicado, já que requer muitos passos: toque no botão de vídeo, grave o vídeo, escolha um filtro (ou não), escolha a imagem de capa, digite a legenda, escolha onde você vai compartilhar o vídeo e… ufa! Pronto.

No Vine, você apenas grava o vídeo, toca em “Finish”, digita a legenda e acabou. Além disso, os vídeos tocam em loop, e ficam mais próximos de um GIF animado; no Instagram, o vídeo toca apenas uma vez.

Há quem diga que, devido a essas diferenças, ambos podem vingar. Por que um ou outro, se cada um permite usos diferentes? Mas se os números dizem algo, é que o Vine está perdendo espaço, e rápido.

Vine e Instagram não informam quantos vídeos são compartilhados por dia em cada serviço. [Topsy via Marketing Land via The Verge]