A empresa aérea australiana Qantas anunciou que encomendou 12 aviões do modelo Airbus A350-1000 para oferecer aos passageiros rotas internacionais de longa duração. E bota “longa” nisso: as novas aeronaves vão ficar no ar por cerca de 19 horas.

Antes da pandemia, a companhia já vinha fazendo alguns testes para avaliar os efeitos dos voos de longa duração sobre os tripulantes e passageiros. Segundo apontou o PopSci, um dos voos levou 19 horas e 19 minutos para cruzar a distância entre as cidades de Sydney, na Austrália, e Londres, na Inglaterra, sem fazer escalas.

Com a nova encomenda de aeronaves, a Qantas pretende oferecer mais viagens como esta a partir de 2025, sendo capazes de voar da Austrália para qualquer outra cidade do mundo.

Cada avião transportará 238 passageiros divididos em quatro classes, com mais de 40% da cabine dedicada a assentos premium. A empresa afirma que o interior é configurado para maior conforto em voos longos, incluindo uma zona de bem-estar a bordo. Para comparação, este modelo de avião costuma comportar, sem as adaptações, até 410 passageiros.

“Todas essas aeronaves da próxima geração – por meio de suas emissões mais baixas, maior alcance, menos ruído e melhor economia – melhorarão a forma como as pessoas viajam pela Austrália e no exterior”, afirmou a empresa em comunicado.

A empresa suíça Comlux bateu no ano passado o recorde mundial de voo sem escalas ao viajar entre Seul e Buenos Aires durante 20 horas e 19 minutos. A distância de 19.483 km foi percorrida por um Boeing 787.

Além disso, a Singapore Airlines já oferece uma rota direta entre Cingapura e Nova York de quase 19 horas de duração. Já a Qantas tem um voo entre Perth, no sudoeste da Austrália, e Londres que dura cerca de 17 horas. Haja barrinha de cereal e amendoim.