A promessa era começar os testes no final de 2017, mas o Google pisou na bola, e só agora o Waze Carpool começará a funcionar em terras brasileiras.

Nesta terça-feira (21), a companhia anunciou que o aplicativo do Waze Carpool já pode ser baixado pelos usuários de Android e iOS — e o serviço irá funcionar em todo o Brasil a partir desta terça-feira (21).

O custo será de R$ 4 a R$ 25 por carona, com pagamento apenas via cartão de crédito, e o Google afirma que, de cinco a 40 quilômetros, a corrida custará R$ 10; passando disso, há um valor por quilômetro — ainda não revelado. Os valores representam uma ajuda de custo para o combustível e a manutenção do veículo, mas o ponto chave é que a ideia do app não é ganhar dinheiro com o serviço ou fazer dele um trabalho, mas compartilhar o assento do carro com alguém que está indo para um lugar próximo e ter uma ajudinha no combustível.

Embora o app do Waze soe similar com o que é oferecido pelo Uber e equivalentes, a proposta é diferente. A ideia é dividir o carro com vários desconhecidos que estão indo mais ou menos para o mesmo lugar, e cada um ajuda com uma parte do custo da viagem.

Os motoristas não precisam lidar com nenhum tipo de registro extra, além da própria habilitação e do carro. Além disso, o Google não fica com nenhuma parte da tarifa.

Para os passageiros, o funcionamento é simples: o destino é inserido pelo aplicativo Waze Carpool, e o sistema escolhe um motorista com trajeto parecido. Os motoristas, por sua vez, utilizam o Waze tradicional, bastando ativar a opção para dar caronas. Os passageiros podem também definir filtros de com quem pegar a carona: pessoas do mesmo sexo ou que trabalham na mesma empresa, por exemplo.

Cada usuário tem um perfil em que são exibidas informações como: perfil do Facebook, perfil do Linkedin, uma nota de avaliação e dados apurados como “cartão de crédito verificado”. Alguns desses dados são verificados a partir do email corporativo.

Outra diferença é o limite para os condutores receberem caronas. A ideia é que se façam duas corridas: uma na ida ao trabalho e outra na volta, por exemplo. O valor pago pelos passageiros também é menor, assim o serviço não se torna um trabalho.

O Waze Carpool vinha sendo testado por mais de 20 parceiros e 60 empresas. Já foram realizados 40 mil quilômetros em caronas.

O objetivo do Google é reduzir os congestionamentos em até 16%. Pelo menos em popularidade, o Carpool tem um ótimo suporte: São Paulo é a cidade com o maior número de usuários do Waze no mundo; o Brasil fica em segundo no ranking de usuários únicos mensais.