O WhatsApp ainda vem tentando se explicar sobre mudanças importantes nas políticas de privacidade do aplicativo que entrariam em vigor no dia 8 de fevereiro. As críticas foram tantas que a companhia adiou a implementação das novas regras, que agora só devem valer a partir de maio. E para quem acha que a plataforma vai mudar de ideia no meio do caminho, é melhor pensar duas vezes, já que o mensageiro está dando indícios que vai manter as novas diretrizes.

Em comunicado enviado à imprensa, o WhatsApp afirma que não pretende mudar as novas políticas referentes aos Termos de Serviço e privacidade da plataforma. O que a empresa destaca é em mais transparência com os usuários, informando exatamente (ou quase isso) como as mudanças irão afetá-los. Para tal, o app passará a exibir nas próximas semanas um pequeno banner com um convite para que os usuários verifiquem as novas políticas quando quiserem.

Um alerta será exibido no topo da janela do WhatsApp alertando sobre as mudanças. Imagem: Divulgação

De acordo com a companhia, o adiamento das novas regras foi postergado porque muita gente quer ter certeza que o mensageiro não vai ler, ouvir e nem armazenar suas conversas pessoais. “As pessoas também querem confirmar que o WhatsApp não mantém registros sobre com quem os usuários estão conversando e que não compartilha listas de contatos com o Facebook. Essa é a abordagem global do WhatsApp para proteger as informações mais privadas das pessoas e isso não muda”, diz o aplicativo.

A empresa também afirma que “as equipes do WhatsApp passaram as últimas semanas analisando os comentários dos usuários e conversando (virtualmente) com pessoas de vários países”. Segundo a companhia, “esta foi uma grande oportunidade para o WhatsApp ouvir sobre as preocupações das pessoas e entender o que poderia ter feito melhor”.

O WhatsApp ainda criou uma página em português explicando o assunto. Você pode visualizá-la clicando neste link. As mudanças estão previstas para serem aplicadas no dia 15 de maio de 2021.

Assine a newsletter do Gizmodo

A atualização nas políticas de uso do mensageiro acontecem principalmente porque os usuários que quiserem continuar usando o aplicativo são obrigados a concordar com os novos termos, caso o contrário suas contas seriam excluídas. E entre esses termos – bastante confusos, diga-se de passagem – estão aberturas que levam ao entendimento de que os dados do WhatsApp poderão, em algum momento, ser compartilhados com o Facebook, proprietário do app.

Agora com mais três meses até que as novas diretrizes sejam implementadas de fato, o WhatsApp ganha tempo para esclarecer ainda mais o que isso vai mudar nos usuários do aplicativo. É bom a empresa correr, já que, desde o início de fevereiro, plataformas concorrentes, como Telegram e Signal, viram sua base de inscritos subir significativamente.