Como muitos de vocês provavelmente já sabem, o WhatsApp anunciou mudanças na sua política de privacidade e confundiu muitas pessoas que tiveram a impressão de que o aplicativo passaria a compartilhar seus dados com o Facebook. Desde então, a empresa tem tentado de toda forma garantir que nada muda nas conversas individuais.

Agora, a nova tática deles: utilizar as mensagens de status (em formato de stories) para dizer que respeitam a sua privacidade. Em uma atualização neste domingo (31),o WhatsApp anunciou que agora também apareceria no status e que usaria a ferramenta para informar os usuários sobre atualizações e recursos.

O anúncio veio junto de dois stories sobre privacidade. A empresa disse que usaria a ferramenta para que as pessoas pudessem ouvir do WhatsApp diretamente. Uma das mensagens diz que “o WhatsApp não pode ler ou ouvir suas conversas pessoais, já que elas são criptografadas de ponta a ponta” e dá o link para uma página sobre privacidade.

A página reafirma que privacidade é uma “prioridade” para o WhatsApp e que as conversas são armazenas apenas no seu dispositivo. Também destaca uma série de recursos — como as configurações de privacidade em grupo e a verificação em duas etapas — para dizer que permite aos usuários controlar sua privacidade.

Os problemas começaram em janeiros, quando o WhatsApp revelou sua nova política e disse aos usuários que eles não poderiam usar o aplicativo a menos que concordassem com o os novos termos. Alguns críticos afirmaram que a novidade parecia dar ao WhatsApp o direito de compartilhar dados pessoais, como o número de telefone ou informações de pagamento com o Facebook, o Instagram ou qualquer outro subsidiário das empresas de Zuckerberg.

Falando honestamente, a nova política era quase impossível de se entender. A maioria dos usuários passou a supor que o o Facebook conseguia ler suas mensagens do WhatsApp, ver sua lista de contatos e saber toda vez que alguém leu uma mensagem. No entanto, se você apenas faz uso pessoal do WhatsApp, nada mudo por enquanto. A nova política de privacidade só vale para as empresas que usam o Facebook.

“Queremos deixar claro que a atualização da nossa política não afeta a privacidade das suas mensagens com amigos ou família de forma alguma”, diz a plataforma em sua página de FAQ. “As mudanças são relacionadas a recursos opcionais para negócios no WhatsApp e fornecem mais transparência sobre como coletamos e usamos dados”, conclui.

De qualquer forma, o estrago já foi feito. Após o incidente, os rivais Signal e Telegram ganharam muitos novos usuários. E vale notar que o Signal foi cofundado por Bryan Acton, um dos cofundadores originais do WhatsApp e que, anteriormente, havia dito para as pessoas deletarem o Facebook.

Além de criar esses stories, o WhatsApp criou uma página de FAQ e adiou o lançamento da nova política de privacidade para maio. Seus executivos, assim como outros executivos do Facebook, como o Adam Mosseri, chefe do Instagram, e Andrew Boswort, vice presidente de AR/VR do Facebook, tentaram acalmar os usuários.

Tudo bem que o WhatsApp está tentando conter a crise, mas algo me diz que não é só com alguns stories que eles vão resolver uma bagunça tão grande.