Descobrimos esta semana que o PlayStation 5 é grande pra cacete. E não é só isso: ele parece uma espécie de arena de basquete com seu design cheio de curvas e torres. É exagerado até mesmo quando comparado a consoles mais robustos, como o Xbox One e o Xbox original.

Além disso, o design do PS5 não é nada amigável com outros consoles ou com prateleiras pequenas. Colocar seu videogame antigo em cima dele, por exemplo, é impossível. Ele foi feito para ficar sozinho, seja deitado ou em pé.


GIF: Sam Rutherford/Gizmodo

Já o Xbox Series S e o Xbox Series X são muito mais amigáveis na construção ​​e fáceis de encontrar onde colocar. Dá até para deixar um em cima do outro, mas eu não me arriscaria.

Brincadeiras à parte, a verdade é que ninguém vai precisar dos dois aparelhos. O Series X vem com tocador de disco e é mais potente do que o Series S. Eles são destinados a dois tipos diferentes de pessoas, então é improvável que ambos acabem sob a TV juntos… a menos que seus proprietários se casem. Nesse caso, parabéns aos noivos gamers!

O Xbox Series X tem 15,1cm x 15,1cm x 30,1cm; já o Series S tem 6,5 cm x 15,1 cm x 27,5cm. Além disso, enquanto o Series X pesa 4,4 kg, o Series S é bem mais leve, com apenas 1,9 kg. Já o PlayStation 5 é tem 4,5 kg.

Muita gente acusa que essa geração de consoles é coisa para quem tem inveja de PC. Olhando para o visual dos novos Xbox, parece que faz sentido. Os dois têm uma porta USB-A na frente, ao lado do botão liga/desliga. Na traseira, cada um tem uma porta Ethernet, mais duas USB-A, uma de alimentação e uma de expansão de armazenamento extremamente parecida com a de um computador.

Além do visual, estou curiosa para ver se eles fazem o mesmo barulho que os computadores quando ligados. Há muitas saídas de ventilação embutidas para melhorar o fluxo de ar. Isso, aliás, me deixa preocupada em relação ao Series X caso ele fique em um móvel muito apertado, o que pode prejudicar o resfriamento.

Já o controle não causa qualquer preocupação. O do Series X é preto, e o do Series S, branco. Se você já usou um do Xbox 360 ou do Xbox One, eles são bem familiares. A Microsoft não quis colocar grandes luzes extravagantes ou vibrações hápticas. Em vez disso, parece que ela preferiu se concentrar no que funciona. Existem apenas duas mudanças reais perceptíveis para a maioria das pessoas: o novo botão Compartilhar e o direcional côncavo.

Foto: Alex Cranz/Gizmodo

Quando eu finalmente ligar os Xboxes, o botão Compartilhar deve permitir que eu compartilhe coisas. O direcional deve permitir que eu seja totalmente destruída no Street Fighter. Ou talvez realmente ajude.

Foto: Alex Cranz/Gizmodo

De qualquer forma, é extremamente diferente, com um clique em alto e bom som quando você pressiona em qualquer direção e um clique duplo quando você pressiona as diagonais. As direções cardeais também ficam levantadas acima do disco do direcional, tornando-se um pouco mais fácil pressioná-los e não fazer acidentalmente uma diagonal para cima em vez de para trás.

Designs à parte, o que importa mesmo é o funcionamento — e você saberá mais sobre isso quando testarmos os dois (três) em breve.