A Xiaomi anunciou hoje o novo smartphone Mi 4c: ele é dedicado ao mercado chinês e conta com especificações – e preço – de causar inveja em diversas outras marcas.

O Mi 4c é oferecido em dois modelos: o mais simples tem processador Snapdragon 808, 2 GB de RAM e 16 GB de armazenamento. A tela de 5 polegadas traz resolução 1080p.



Temos aqui uma câmera traseira de 13 megapixels, frontal de 5 megapixels, bateria de 3.080 mAh, suporte para dois chips 4G e uma entrada USB Type-C – o novo padrão USB que faz de tudo e promete dominar computadores e dispositivos móveis do mercado. (Caso você precise de um adaptador para usar cabos microUSB antigos, tudo bem: a Xiaomi vende um por apenas R$ 3.)

Este modelo do Mi 4c custa o equivalente a US$ 204 (ou R$ 820). E por cerca de US$ 235 (ou R$ 940), é possível adquirir a versão mais potente, com 3 GB de RAM e 32 GB de armazenamento.

12027597_10152978612461612_1802221336909716349_n

O brasileiro Hugo Barra, vice-presidente internacional da Xiaomi, explicou em sua página do Facebook mais detalhes do celular. O Mi 4c virá com a interface MIUI 6, com a atualização para o MIUI 7 chegando poucas semanas depois do lançamento.

Além disso, ele também tem suporte à função Edge Tap: Barra explica que ambos lados do smartphone são sensíveis a toques leves. “Por exemplo, dê um toque duplo para voltar, um toque para tirar uma foto, entre outros”, explica.

O Mi 4c chega ao mercado chinês nesta quarta-feira (23) em diversas cores: branca, cinza, rosa, amarelo e azul. O smartphone será vendido da mesma forma que os brasileiros já conhecem: pelo site oficial da companhia.

Mi Mobile

mi-mobile

Além de celulares bons e baratos, a Xiaomi começa a entrar no mercado de operadoras: Hugo Barra revelou nesta terça-feira a Mi Mobile, que usará a rede da gigante China Telecom.

A operadora terá preços esmagadores para a concorrência: um pacote de 3 GB de dados sai por menos de US$ 10. Também haverá um plano de consumo em que o minuto por voz ou o MB consumido custará US$ 0,015. Em ambos os casos, a Mi Mobile oferecerá suporte à rede 4G.

Os chips da operadora serão disponibilizados em diversos tamanhos (nanoSIM, microSIM etc.) e serão compatíveis com qualquer celular, não apenas os da Xiaomi.

A princípio, ela funcionará com duas opções de planos e apenas na terra natal da Xiaomi, na China. A ideia, no entanto, é que a operadora se expanda para outros países.

[XiaomiHugo Barra via The Verge; AndroidHeadlines]