Como um dos maiores embaixadores do espaço no mundo, Carl Sagan continua inspirando nosso fascínio com a exploração fora da Terra. A Biblioteca do Congresso dos EUA digitalizou os arquivos de Sagan, e alguns dos itens colocados na internet nos dão uma ideia espetacular de como era a mente do astrônomo.

Alguns itens da Coleção de Carl Sagan de Seth MacFarlane e do Arquivo Ann Druyan são divertidos de se observar para ver como era a vida pessoal de Sagan: um jovem Carl tocando piano ou um velho Carl escrevendo para um jovem Neil deGrasse Tyson. Outros revelam como ele levava com seriedade não apenas a ciência, mas também a comunicação de ideias científicas. Através da poesia, de romances, e até mesmo de videogames, ele defendeu a exploração espacial e a busca por vida extraterrestre.

Confira alguns dos itens mais bacanas abaixo:


Filmes caseiros de um jovem Carl Sagan tocando piano e brincando.

19eoqp0lakvwjpng

Veja 30 minutos de vídeo no site da Biblioteca do Congresso.


Desenhos feitos por Carl entre os 10 e 13 anos imaginando manchetes de jornais sobre voos espaciais do futuro.

ku-xlarge

A Celebration Of Carl Sagan

Paul Morigi/Getty.


Carl adolescente em um artigo de jornal escolar sobre poesia e espaço.

ku-xlarge (1)

Ao ponderar as possibilidades de voos interplanetários, ele citou Tennyson. Leia o artigo completo aqui (em inglês)


Notas de um romance onde NSA e CIA investigam OVNIs

19eor4mx33lu4jpg


Uma carta para o estudante Neil DeGrasse Tyson, convidando-o para visitar Cornell em 1975

19eokkwp54ebbjpg


Um rascunho do seu romance Contato – mais tarde adaptado para o cinema em filme com Jodie Foster – ditado pelo próprio Sagan.


Uma versão preliminar da famosa citação “Pálido Ponto Azul”

ku-xlarge (2)

O The Atlantic destaca como a famosa citação mudou do rascunho até a versão final.


Ideias para um videogame baseado em Contato “tão excitante quanto videogames violentos”

19eoqp4jh2e7jjpg


Imagem de topo: Getty/Hulton Archive.