Quando a Gradiente anunciou seus iphones e disse que tinha feito o pedido do registro da marca “iphone” no Brasil antes da Apple ela não estava brincando. E, pelo jeito, quem vai se dar mal é a Apple.

A próxima edição da Revista da Propriedade Intelectual do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), que será divulgado no dia 5 de fevereiro, deve dar à Gradiente os direitos da marca.

Na verdade a Apple é quem vai perder os direitos do nome iPhone. A IGB Eletrônica, dona da marca Gradiente no país, tem desde 2008 o registro da marca “g gradiente iphone”, tendo feito o pedido em março de 2000, sete anos antes do iPhone da Apple ser anunciado. A Apple tentou registrar a marca iPhone em 2006, 2007, 2010 e 2011, e os pedidos serão negados pelo INPI nesta terça-feira.

Assim, a Gradiente terá o direito de uso exclusivo da marca. Para a Apple, então, resta buscar a Gradiente para tentar fechar um acordo sobre a marca – ela fez isso quando o iPhone saiu nos Estados Unidos e a marca pertencia à Cisco.

Os próximos meses então prometem uma disputa entre as duas empresas. A Gradiente já lançou o seu primeiro iphone – o Neo One, que roda Android e custa R$ 600. Para o INPI, este deverá ser o verdadeiro iphone por aqui. E a Apple, com o seu iPhone, pode ser processada a qualquer momento pela Gradiente. [Folha, O Globo]