A Lua? Entendiante. Marte? Meh. O próximo grande passo para a humanidade não virá na forma de uma viagem interplanetária, mas sim de uma aventura às rochas que não são boas o bastante para se tornarem planetas. Sim, asteroides. E a NASA já começou o treinamento para essa viagem.

A ideia por trás de visitar asteroides é de que os astronautas possam explorar a superfície em busca de minerais e reunir informações sobre essas rochas gigantescas para o caso de uma delas entrar em rota de colisão com a Terra e terem que ser destruídas.

Mas a NASA também está levando um astronauta da ESA, Tim Peake, que entrou em muitos detalhes sobre o regime de treinamento que envolve essa busca (atualmente agendada para começar daqui a 15 anos). ALERTA DE SPOILER: ele passará 12 dias sob 20 metros de água em Florida Keys.

“Viver embaixo d’água é uma excelente analogia espacial — a tripulação pode praticar técnicas EVA (‘caminhada espacial’) usando flutuabilidade neutra na água, enquanto a Aquarius oferece um ambiente similar ao de uma nave espacial: espaço confinado, confiança total nos sistemas vitais e nenhuma opção de retorno rápido. A tripulação só pode emergir de forma segura depois de 12 horas de descompressão — de outra forma há um grande risco de problemas de saúde decorrentes da descompressão.

A tripulação da NEEMO 16 compreende o astronauta e comandante da missão da NASA Dorothty (Dottie) Metcalf-Lindenburger, o astronauta da JAXA Kimiya Yui, o professor de astronomia Steve Squyres e eu. Além de nós, teremos o auxílio de dois técnicos de sobrevivência que também são especialistas em mergulho. A tripulação passará 12 dias vivendo na Aquarius, conduzindo dois EVAs por dia. Como em qualquer missão espacial, haverá um time experimente em terra ajudando a gerenciar as operações, comunicações e logística do Centro de Controle de Missão (MCC) em terra seca.”

Treinamento submarino.

A verdadeira missão no asteroide dependerá fortemente da nave Orion, atualmente em desenvolvimento. De acordo com Peake, a jornada ao asteroide poderá custar seis meses passados no espaço profundo e uma vez que os astronautas aterrissem, eles poderão esticar as pernas e dar um rolé em um veículo de exploração, coletar amostras e conduzir testes. Mas por agora, ele precisa se concentrar na missão submarina, marcada para começar mês que vem, na qual ele e seus companheiros usarão jetpacks e submersíveis DeepWorker. Incrível. [ESA, Telegraph]