Não é de hoje que a BlackBerry, antiga RIM, vai mal das pernas. Após uma que pode ter sido a última tentativa de se reerguer, a empresa canadense anuncia estar aberta a “explorar alternativas estratégicas”. O que isso significa?

A BlackBerry apostou todas as suas fichas em um novo sistema, o BlackBerry 10, lançado há alguns meses na forma de dois aparelhos, o Z10 e o Q10. As inovações da nova versão, como o teclado virtual com auto-completar de palavras flutuantes e a separação entre perfis pessoal e corporativo, parecem não ter sido suficientes para virar o jogo: recentemente o Windows Phone, da Microsoft, ultrapassou a BlackBerry em vendas e os últimos relatórios fiscais indicam lucros super tímidos, insuficientes para acalmar os ânimos dos acionistas.

Mas parece que não foi suficiente. Em anúncio feito agora pela manhã, o quadro de diretores da BlackBerry anunciou que a empresa está aberta a alternativas estratégicas e que, para tanto, criou uma “Comissão Especial” para explorá-las.

No que consiste essas alternativas? “Entre outras, possíveis joint ventures, parcerias ou alianças estratégicas, uma venda da empresa ou outras possíveis transações.” Não é fácil competir com Google, Apple, Samsung e Microsoft.

O anúncio termina informando que, apesar desses esforços, não há garantias de que alguma coisa mudará na BlackBerry e que só anunciará eventuais mudanças após elas serem finalizadas e aprovadas pelo quadro de diretores. Qual você acha que será o destino da empresa? [BlackBerry. Foto: Moridin_/Flickr]