A Terra está passando mais uma vez pelos destroços deixados pelo cometa Halley, produzindo a chuva de meteoros oriônidas neste fim de semana. Vá lá fora! Olhe para o espaço!

Os meteoros oriônidas produzem uma chuva anual, que tem um pico de 20 a 25 meteoros por hora. Assim como todas as chuvas de meteoros, elas são batizadas pela constelação em que parecem se originar no céu, neste caso a Orion (ou mais precisamente, na borda de Orion e Gemini). Você deveria se importar com isso porque o espaço é incrível.

Os meteoróides são fragmentos de materiais que vagueiam pelo espaço e que se tornam meteoros quando brilham, enquanto entram na atmosfera da Terra. Eles são capazes de atravessar o céu com velocidades médias de 240 mil quilômetros por hora, de acordo com o Space.com. Eles são chamados de meteoritos depois de caírem na Terra.

A melhor opção para assistir a chuva é olhar para um ponto um pouco mais distante de Orion, onde estão as “três Marias” – isso ajudará a ver os meteoros por mais tempo. Como aponta a Veja, a constelação aparece no horizonte leste por volta da uma hora da manhã e vai ficando mais alta com o passar do tempo. O melhor horário para observar aqui no Brasil é cerca de uma hora antes do amanhecer.

Os meteoros de uma chuva se originam do mesmo lugar no céu e geralmente caem de forma paralela uns aos outros. É como se você estivesse sentado no meio de um conjunto de faixas paralelas que convergem bem longe – as distâncias se diferenciam de acordo com a faixa que você olha. Quanto ao cometa de Halley, o icônico pedaço de gelo e rocha não visitará a Terra até 2061.

Se você não quiser sair por aí para ver esse evento maravilhoso, o telescópio online Slooh irá transmitir (mas é preciso fazer um cadastro).

A chuva de meteoros poderá ser observada em todo o território brasileiro. Aproveite!

[Veja, SPACE.com]

Imagem do topo: Mike Lewinski/Flickr