Dentistas são assustadores. Mesmo no cenário atual da medicina, não dá para negar que é um horror ter alguém enfiando objetos cortantes na sua boca. Imagine, então, como isso era há 14 mil anos! Na verdade, você nem precisa imaginar, porque uma equipe de cientistas descobriu o exemplo mais antigo de odontologia — e ele é bem horripilante.

>>> Dentistas encontram forma indolor de tratar cáries
>>> Vídeo: como o aparelho dentário corrige os dentes tortos

Um estudo publicado na Scientific Reports detalha “as mais antigas evidências de intervenções em cáries dentárias”. Elas foram encontradas nos restos de um homem de 25 anos de idade que morreu no norte da Itália há cerca de 14 mil anos, durante o Paleolítico Superior. Esta foi a última era da Idade da Pedra, uma época em que a pintura nas cavernas ainda era tendência.

O estudo revela que esse também foi um período em que a higiene dental passou do uso (meio invasivo) de palitos de dente para a prática (bem invasiva) de combater cavidades com “ferramentas pontiagudas de pedra”. Estas pedras eram usadas para “atividades de raspar e nivelar”, cujo objetivo era erradicar a infecção. A foto do dente que foi tratado desta forma está acima.

A ciência por trás da descoberta é inegavelmente fascinante. Os pesquisadores usaram um microscópio de varredura de elétrons para tirar fotos aproximadas — veja abaixo — do esmalte dentário.

1343343038966112613

Também foram testados vários tipos de materiais, como madeira e osso, antes de determinar que a primeira ferramenta de tortura dentária foi de fato um pedaço de pedra afiada.

Agora, imagine como é sentir a rocha entrando no seu molar. Você nunca mais vai reclamar da injeção de anestesia de novo.

[Scientific Reports via Atlas Obscura]