A tecnologia por dentro da MotoCzysz E1pc não é apenas o futuro das motos, é o futuro dos veículos elétricos. Quando você tem 10 vezes mais bateria do que o Prius e 2,5 vezes mais torque do que um Ducati, é fácil explicar as razões.

Michael Czysz, o homem por trás da máquina, fez a MotoCzysz E1pc tão avançada que todas as partes principais da E1pc – do seu motor, suas baterias e até mesmo sua aerodinâmica – são todos os novos líderes da categoria. A bateria, a chave mágica para qualquer veículo elétrico, é conectada sem cabos e pode ser facilmente trocada em segundos. As baterias foram construídas manualmente por uma companhia que desenvolve para a NASA, e seu motor elétrico atinge quase 500 volts, o que é o necessário para transformar uma chave numa pilha de metal derretido. O motor, batizado de “D1g1tal Dr1ve”, oferece uma conexão quase direta entre o acelerador e a roda traseira, o que permite a moto ser venenosamente veloz.

Quão veloz? Veja o que ela fez nos testes dessa semana:

[A E1pc] atingiu a velocidade máxima de 224 km/h – superando seu concorrente elétrico mais próximo, com 163 km/h. A E1pc também atingiu 154 km/h em uma volta. Sim, ele completou essa volta. Mas isso não é o mais impressionante; a E1pc atingiu essa marca usando, em média, 40% de sua aceleração e cruzou a linha de chegada com “muita energia no tanque”, segundo Czysz.

A MotoCzysz E1pc correrá essa semana num circuito cheio de curvas malucas na Ilha de Man, conhecida por destruir motos e pilotos com frequência, e quem a completa ganha muita credibilidade, que o que a E1pc quer. E nós não estamos exagerando, a pista da Ilha de Man, a TT, já matou 227 pessoas em suas 91 corridas.

Mas se tudo der certo, e nós esperamos que dê, nós não veremos nenhuma morte nessa corrida e testemunharemos o nascimento do futuro dos veículos elétricos. [PopSci]