Sabe o grafeno, aquele supermaterial que é forte o suficiente para suportar cortadores de diamantes? Pois é, descobriram que ele não só pode substituir o silício como o componente da moda atual para microchips, como também pode vir a tornar-se a próxima megabateria também. Engenheiros da Universidade do Texas em Austin descobriram uma maneira de armazenar cargas elétricas em ultracapacitores feitos degrafeno e a descoberta deles pode revolucionar a industrial de energia renovável.

Existem duas maneiras de armazenar energia elétrica atualmente – por meio de baterias recarregáveis ou em ultracapacitores, uma tecnologia mais recente que opera de forma mais segura, menos quente e por mais tempo. Os pesquisadores da Universidade acham que a descoberta poderia até dobrar a capacidade dos ultracapacitores atuais, que são feitos de uma forma diferente e menos apavorante do carbono.

Se tudo der certo, isto poderia dar uma grande ajuda às indústrias de energia solar e eólica, cujo maior desafio no momento é a armazenagem de energia para quando o sol não está a pino e o vento não está soprando. Além disto, os ultracapacitores de grafeno poderiam até mesmo melhorar a eficiência de todos os dispositivos elétricos – carros, ônibus, trens, qualquer coisa. [Science Daily via Slashdot]