Numero Group é uma gravadora que é mais conhecida por ter reeditado pérolas esquecidas do Soul e R&B. E agora eles tornaram público que não gostam da nova função iTunes Match da Apple, escolhendo não fazer parte do serviço.

“Nós sentimos que a Apple e as grandes gravadoras estão assumindo um enorme risco ao aceitar os termos desse novo produto sem pensar muito além dos 150 milhões que essas então chamadas “quatro maiores” irão provavelmente dividir e pagar seus principais executivos. Com isso, queremos dizer que as leis de direitos autorais que protegem composições e músicas estão sendo, mais ou menos, esmagadas por estes acordos.”

O Ars Technica diz que a Numero, juntamente com outras empresas de música digital, acreditam que o serviço de U$25 por ano que faz a correspondência da sua biblioteca musical existente (independente de como tiver sido adquirida) com as músicas que existem no servidor deles “legitimize a pirataria” – um pensamento bem comum até. Alguns argumentam que esse novo serviço é benéfico porque a Apple está na verdade fazendo com que os piratas paguem pelas músicas que eles roubaram. Mas o Numero Group insiste que os royalties serão muito pequenos para fazer diferença. Será interessante assistir essa discussão evoluir quando o serviço for lançado e mais gravadoras verem o serviço em ação. Certamente a Numero não será a única a pular fora. [Numero via Ars Technica]