Já notou como os filmes do Christopher Nolan (InterestelarA OrigemO Grande Truque) dão a sensação de um ataque de ansiedade? Bem, talvez isso seja um exagero. Mas o diretor tem, sim, um gosto por criar um grau enervante de tensão. Acontece que ele está usando um pouco de magia musical para alcançar isso.

• Tudo que conseguimos extrair do novo trailer de Blade Runner 2049
• Comparação lado a lado mostra cenas de filmes e as imagens históricas que as inspiraram

A magia é, na verdade, uma ilusão de áudio científica chamada de escala de Shepard. Com nome em homenagem ao psicólogo Roger Shepard, pioneiro em nossa compreensão de relação espacial, o efeito soa como uma escala infinitamente ascendente ou descendente. Os tons estão constantemente se movendo para cima ou para baixo, mas eles nunca parecem alcançar um ápice ou um ponto mais baixo. Isso é conquistado ao empilhar as escalas umas sobre as outras — tipicamente, uma escala de agudo, uma de médio e outra de grave — com uma oitava entre elas, então tocando-as em repetição contínua.

A escala de Shepard é às vezes chamada de “poste de barbeiro” do som. Você até consegue ver a semelhança, quando a ouve e olha para a visão do espectro de uma escala de Shepard. Não ouça isso por muito tempo, ou você pode enlouquecer:

Enfim, o Christopher Nolan simplesmente ama isso. Com seu colaborador de longa data Hans Zimmer, o aclamado diretor usou escala de Shepard em quase todos seus filmes da última década. Ele até escreve seus scripts de maneira que combinem com o efeito. Em uma entrevista recente, Nolan explicou como ele usa as escalas de Shepard em seu mais novo filme, Dunkirk:

O roteiro havia sido escrito de acordo com princípios musicais. Existe uma ilusão de áudio, se você quiser chamar assim, na música chamada de “escala de Shepard“, e, com meu compositor David Julvan, em “O Grande Truque“, exploramos isso e baseamos muito em cima disso. E é uma ilusão em que existe uma ascensão contínua de tom. É um efeito saca-rolhas. Está sempre subindo e subindo, mas nunca sai do alcance. E escrevi o roteiro de acordo com esse princípio. Eu entrelacei as três linhas do tempo de maneira que exista uma sensação de intensidade contínua. Intensidade crescente. Então eu queria construir a música em princípios matemáticos semelhantes.

Sabendo disso, você ganha uma compreensão mais profunda sobre filmes como InterestelarA Origem, e O Grande Truque. Isso também explica por que esses filmes parecem, de alguma forma, inconclusivos. Uma escala de Shepard cria um conflito que não pode ser resolvido, assim como os enredos de Nolan.

[Digg, Business Insider]

Imagem do topo: Reprodução