Uma explosão foi registrada nesta quinta-feira (5) na Vale Fertilizantes, em Cubatão (SP). O incêndio na Unidade 2 da empresa foi iniciado em uma correia transportadora e atingiu um depósito de nitrato de amônio, produto químico usado na produção de adubos e defensivos agrícolas. O material foi liberado na atmosfera e às 15h era possível ver uma densa fumaça laranja no ar.

• Enfim sabemos como se formou o nevoeiro de Londres que matou milhares de pessoas
• Imagens perturbadoras mostram o tamanho da poluição extrema na Índia

A Vale Fertilizantes soltou uma nota informando que foi necessário evacuar, de forma preventiva, a comunidade da Mantiqueira que fica nas proximidades da fábrica, onde vivem cerca de 450 pessoas e admitiu o risco para as pessoas. “Se respirada em grandes concentrações o nitrato de amônio, pode causar irritação no nariz e no trato respiratório superior, além de tosse e dor de garganta”, informou.

O fogo só foi controlado por volta das 19 horas, a emissão de gases gerados durante a queima do nitrato já havia sido contida e a fumaça estava se dissipando na atmosfera. Cerca de 35 bombeiros de Cubatão, de cidades vizinhas e da Grande São Paulo foram mobilizados no combate ao fogo.

A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) já avalia a extensão dos danos ambientais. De acordo com o secretário adjunto de Meio Ambiente do Estado, Antonio Velloso, a empresa será autuada depois de um levantamento sobre os prejuízos ao ambiente.

O nitrato de amônio

O nitrato de amônio é um sal de cristal, inodoro, incolor ou branco, produzido pela reação de amônia e ácido nítrico. Além de ser utilizado na produção de fertilizantes, ele também é vendido como um aditivo para explosivos de mineração e outros usos não agrícolas. Embora ele não seja inflamável, é um agente oxidante poderoso que pode ajudar na ignição da combustão de outros materiais.

Além disso, é um composto poluente forte muito solúvel em água, o que facilita a contaminação na umidade do ar e no lençol freático, por exemplo. A partir disso, é possível que cause chuva ácida, dependendo da concentração. O fato de ele se deslocar pelo vento também é prejudicial ao ambiente, já que reage por bastante tempo e gera outros poluentes.

Histórico no mundo

Acidentes com o nitrato de amônio são relativamente frequentes. Um dos últimos grandes casos aconteceu na China, no Porto de Tianjin, em agosto de 2015. A nitrocelulose armazenada em um armazém queimou espontaneamente após ficar muito quente e seca, resultando em um incêndio que, 40 minutos depois, provocou a detonação de cerca de 800 toneladas de nitrato de amônio e outras substâncias que estavam armazenadas num local próximo. 173 pessoas morreram e 798 ficaram feridas.

Em 2013 uma companhia de fertilizantes na cidade de West, Texas, pegou fogo. Cerca de 20 minutos depois, o nitrato de amônio armazenado na fábrica explodiu. No total, 15 pessoas morreram e cerca de 200 ficaram feridas.

[G1, Estadão, A Tribuna]

Imagem do topo: Corpo de Bombeiros SP via Facebook.