Sabe uma coisa que os nerds adoram fazer? FICAR FUÇANDO EM CÓDIGOS. Sabe do que os nerds não gostam muito? Do iPad. Mas para os 9 nerds que tem um iPad, o Koder faz o jogo duplo. Você pode encher a tela com aquele monte de  ,/._;{.

O que ele faz?

Koder, 6 dólares. É um editor de código para iPad, que é mais ou menos a mesma coisa do que colocar marcha mecânica em um Toyota Prius. Só um punhado bem seleto de pessoas querem fazer algo assim. É melhor escolher o iPad pelo que ele faz, ou comprar logo um Windows Tablet. Mesmo assim, o Koder para iPad faz basicamente o que se espera dele: marcação de sintaxe, um gerenciador de trechos, edição por abas, buscar e substituir, atalhos de teclado, FTP, Dropbox, iDisk e armazenamento local, etc.

Por que nós gostamos?

Eu claramente estou querendo ser um “nerd descolado” ao dizer que todos os nerds odeiam a Apple. Isso não é verdade e tal. Generalização boba à parte, o Koder é muito bom para o que se propõe: é prático de transferir informações, modos versáteis para editar código e, pô, até temas para transformar o ato de ficar fazendo códigos em algo mais bonitinho. E como o iPad é uma ótima ferramenta para viagens, o Koder permite que os, hum, codeiros deixem o laptop para trás. É como um ótimo editor de texto para escritores. Claro, mais de 95% dos usuários de iPad jamais terá um mísero uso para o app, mas para os outros 3% ou 4% ele tapa um buraco criado pelo Java. Se você trabalha com códigos, você irá amar o Koder. Se não, sai daqui, cara.