A gente sabe como é difícil amar gadgets no Brasil: alguns resistem em vir para estas terras, e quando vêm custam um absurdo. Recentemente a Apple abriu sua loja online no Brasil, e pudemos ver como os produtos da maçã ficam mais caros — duas vezes mais caros, em média — quando comparado com os preços nos EUA. Agora que a Sony trouxe o PS2 oficialmente para o Brasil, custando quatro vezes mais caro que nos EUA, ficamos curiosos: será que a Sony cobra, em geral, muito mais caro do que a Apple no Brasil? Pesquisamos os preços, fizemos as contas e ficamos chocados com os resultados.

Nós já comparamos antes os preços praticados no Brasil e nos EUA pela Apple Store online. Atualizamos alguns preços (MacBooks mais baratos menos caros), mas pouco mudou: em média, os produtos da Apple seguem duas vezes mais caros no Brasil que nos EUA. Por exemplo, com a mesma grana, você compra um iPod Nano aqui ou dois nos EUA, e ainda sobra dinheiro. (O iPhone não está na lista porque não é vendido na Apple Store brasileira.)

Resolvemos fazer o mesmo exercício para a Sony, comparando os preços da loja online Sony Style brasileira e americana. Foi um pouco mais difícil, dado que eles produzem muitos tipos de produtos — ao contrário da Apple, que faz apenas computadores, MP3 players, e o iPhone. Então escolhemos produtos mais representativos, e procuramos incluir produtos básicos, médios e top de linha quando possível. Lembramos que os produtos podem ter pequenas diferenças nos modelos brasileiro e americano: por exemplo, os notebooks Vaio têm Wi-Fi da Verizon nos EUA — mas nada que justifique uma diferença enorme de preços.

Clique na imagem acima para ver maior

Eu sei que os produtos da Sony são mais caros que equivalentes de outras marcas em qualquer lugar do mundo, mas no Brasil a situação é bem mais grave, porque sobre a "Taxa Sony" aplica-se uma "Taxa Sony Brasil", igualmente absurda. Em média, os produtos da Sony custam 3,1 vezes a mais que nos EUA! Ou seja: com a grana que você compra um notebook da linha CW no Brasil, você compra três nos States. Três!

A diferença de preços se vê em todas as linhas de produtos: de câmeras digitais a HDTVs, passando por MP3 players e Blu-ray players. Para o negócio ficar mais assustador, omitimos a informação de quais produtos são fabricados aqui, para ninguém culpar impostos de importação apenas. A Apple, nossa referência nessa reportagem, não tem fábricas no Brasil.

Você pode argumentar dizendo que os preços da Sony Style não são os melhores, tanto lá nos EUA  quanto aqui. Mas para a análise ser justa, comparamos os preços das lojas da Sony aqui e lá, como o fizemos no caso da Apple Store (os preços em itálico são os com desconto na Sony Style americana). 

Por que esta diferença tão grande? Parte dela vem, claro, da carga tributária enorme sobre produtos importados ou mesmo produzidos no Brasil. Mas, aqui no caso, não podemos ficar repetindo essa ladainha para sempre: só isso não explica tamanha diferença de preços.

Talvez a Sony queira se estabelecer aqui como marca de luxo, e pra isso torna seus produtos o mais inacessíveis quanto possível. Quem sabe ela importa menos unidades dos seus produtos no Brasil, e precisa cobrar mais para que sua presença no País valha a pena financeiramente. Qualquer que seja o motivo, isso não me deixa menos irritado e frustrado com o absurdo que é comprar gadgets no Brasil.

Tabelas disponíveis em Excel aqui; imagem via Gunota Headlines