Todos os anos, a Netflix promove o “Hack Day”, evento para os engenheiros colocarem algumas ideias malucas em prática. Na edição deste ano, alguns funcionários criaram o MindFlix: um dispositivo para navegar pelo catálogo e controlar a reprodução de filmes e séries só com o poder da mente.

• Netflix finalmente libera modo offline (mas não vale para tudo)
• Os méritos da série brasileira 3%: uma distopia do ponto de vista não-americano

Eles modificaram um dispositivo MUSE, que é capaz de detectar ondas de eletroencefalograma. Com o simples movimento da cabeça, é possível rolar pela interface; para começar a tocar alguma coisa, você só precisar pensar na palavra “Play”. No vídeo abaixo, os desenvolvedores mostram a criação funcionando. A edição é tão cômica que deixa uma pulguinha atrás da orelha sobre a veracidade da coisa:

Eles brincam dizendo que perder o controle remoto da TV nunca mais será uma dor de cabeça, mas em compensação seria preciso colocar uma espécie de tiara pra assistir um filme. Apesar da desconfiança, dispositivos como esses realmente existem, mas as aplicações nunca se mostraram muito viáveis.

É claro que o Hack Day é uma brincadeira, e o próprio Netflix lembra que as criações “talvez nunca se tornem parte dos produtos da companhia, da infraestrutura interna, ou até mesmo sejam usadas além do Hack Day”.

E o MindFlix foi apenas mais uma dessas concepções. Outros funcionários criaram um modo picture in picture, que mostra o que os perfis atrelados à sua conta estão assistindo; uma função de doação para instituições de caridade, que é exibida em filmes com mensagens sociais; e um joguinho no estilo Atari, inspirado em Stranger Things. Falando em joguinho de Stranger Things, ele já existe.

[TechCrunch via Netflix Blog]