O prêmio Oscar deste ano tinha alguns indicados com uma grande proximidade à ciência e tecnologia. Felizmente, cada um desses filmes recebeu um prêmio.

Citizenfour, que conta a história de Edward Snowden e suas revelações sobre a NSA, levou o Oscar de melhor documentário.

O filme tem esse nome porque a diretora, Laura Poitras, recebeu de Snowden um e-mail criptografado no qual ele se denominava “Citizenfour”. Em junho de 2013, ela foi a Hong Kong acompanhada pelo jornalista investigativo Glenn Greenwald e filmou os encontros com o delator – eles servem de base para o documentário.

>>> Em documentos vazados por Snowden, NSA se diverte com espionagem
>>> Sem conseguir asilo no Brasil, Edward Snowden continuará na Rússia

Ao preparar o filme sobre a espionagem americana, Poitras tomou diversas precauções para não ser detectada. Na verdade, ela usou diferentes softwares de criptografia e anonimato – incluindo Tor, TailsGPG (GNU Privacy Guard) e Truecrypt – que se tornaram mais conhecidos após o escândalo da NSA. Eles são listados no final do filme; a EFF (Electronic Frontier Foundation) reuniu todos neste link.

Citizenfour não será o único filme sobre Snowden: o diretor Oliver Stone (Wall Street – Poder e Cobiça, O Expresso da Meia-Noite) fará uma versão hollywoodiana da história, chamada Snowden, que vai estrelar Joseph Gordon-Levitt ((500) Dias com Ela, Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge) e vai estrear em dezembro nos EUA.

Além disso, a Sony comprou os direitos para fazer um filme sobre o livro Sem lugar para se Esconder, de Glenn Greenwald, que conta o papel do jornalista nas revelações sobre espionagem de 2013.

Hawking e Turing

A Teoria de Tudo e O Jogo da Imitação, que tratam da vida do astrofísico Stephen Hawking e o pai da computação Alan Turing, estavam concorrendo ao Oscar de melhor filme – e acabaram perdendo para o ótimo Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância).

Felizmente, eles não saíram de mãos vazias. Eddie Redmayne levou o Oscar de melhor ator por sua interpretação de Hawking em A Teoria de Tudo. O filme é baseado em um livro de Jane Wilde Hawking, ex-esposa do físico, que trata do seu relacionamento amoroso, dos desafios trazidos pela doença do neurônio motor, e do sucesso de Stephen na física.

O título do filme faz referência à teoria das cordas, às vezes chamada de “teoria de tudo”, que procura unificar todas as forças do universo ao representar pequenas partículas como cordas vibrantes unidimensionais. Hawking diz que esta é “a única candidata para uma teoria completa do universo”.

Por sua vez, O Jogo da Imitação levou o Oscar de melhor roteiro adaptado. Ele resume a trajetória de Alan Turing, que ajudou a decifrar o mecanismo usado pela máquina de criptografia Enigma usada pelos nazistas. Turing depois foi condenado a um tratamento com hormônios por ser homossexual, e cometeu suicídio em 1954. Depois de 61 anos, ele finalmente recebeu o Perdão Real.

>>> O Jogo da Imitação: boa biografia, mas feito para ser isca de Oscar
>>> Manuscrito escondido de Alan Turing vai a leilão

O roteiro é adaptado a partir da biografia Alan Turing: The Enigma, de Andrew Hodges, ainda sem tradução para o português.

Entre os vencedores do Oscar, também tivemos Interestelar (melhor efeito visual) e Operação Big Hero, uma animação da Marvel/Disney inspirada em robôs de verdade. Confira abaixo os ganhadores das principais categorias; os indicados estão neste link.

Melhor filme: Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)

Melhor direção: Alejandro G. Iñárritu, Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)

Melhor ator: Eddie Redmayne, A Teoria de Tudo

Melhor atriz: Julianne Moore, Para Sempre Alice

Melhor ator coadjuvante: J.K. Simmons, Whiplash: Em Busca da Perfeição

Melhor atriz coadjuvante: Patricia Arquette, Boyhood – Da Infância à Juventude

Melhor roteiro original: Alejandro González Iñárritu, Nicolas Giacobone, Alexander Dinelaris, Armando Bo, Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)

Melhor roteiro adaptado: O Jogo da Imitação

Melhor fotografia: Emmanuel Lubezki, Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)

Melhor longa de animação: Operação Big Hero

Melhor documentário: Citizenfour

Melhores efeitos visuais: Interestelar

Melhor canção original: “Glory”, por John Stephens e Lonnie Lynn, Selma

Melhor trilha sonora original: Alexandre Desplat, O Grande Hotel Budapeste