No ano passado, o empreendimento de exploração extraterrestre Breakthrough Initiatives anunciou um plano ambicioso para enviar várias naves espaciais para nosso sistema estelar vizinho mais próximo, o Alpha Centauri. O projeto, chamado Breakthrough Starshot, está focado em lançar “nanonaves” para o espaço a velocidades impressionantes. Recentemente, o projeto deu um grande salto em direção ao seu objetivo final ao enviar com êxito seis naves de teste para a baixa órbita terrestre.

• Metade da nossa galáxia pode ter vindo de outras galáxias
• As melhores fotos de astronomia do ano vão te transportar para outro mundo

A pequena nave espacial, chamada “Sprites”, tem apenas 3,5 centímetros de cada lado e pesa cerca de quatro gramas. O engenheiro aeroespacial Zac Manchester, que lidera o projeto Sprites, vem trabalhando nelas nos últimos dez anos.

“O que decidimos fazer desde o início foi testar os limites de tamanho de uma nave espacial”, disse Manchester ao Gizmodo. “A questão foi o quão pequeno poderíamos fazer um satélite e ainda torná-lo capaz de algo útil. Um dos desafios é como obter energia o suficiente, e, dada a pequena energia que você consegue colher, como se comunicar com a Terra?”

Manchester e seus colegas pesquisadores esperam que, eventualmente, mini-naves espaciais similares aos Sprites, chamadas de StarChips, possam viajar a 20% da velocidade da luz, o que se traduz em cerca de 214.300 quilômetros por hora. Para uma nave dessas ir da Terra à Lua, levaria menos de sete segundos, de acordo com Sky and Telescope.

Essas são velocidades e distâncias que nenhuma espaçonave de qualquer tamanho alcançou antes. Atualmente, a nave que foi mais longe já construída foi a Voyager 1, da NASA, lançada em 1977, que só chegou ao espaço interestelar alguns anos atrás.

Por enquanto, as Sprites estão descansando na órbita terrestre baixa. Elas foram lançadas no dia 23 de junho em um foguete indiano chamado Polar Satellite Launch Vehicle (PSLV). A Breakthrough Starshot declarou que um segundo satélite será lançado em breve.

Obviamente, muito mais trabalho precisa ser feito antes de chegarmos à viagem interestelar. Mas para nerds de astrobiologia e loucos por viagem espacial, o lançamento bem sucedido da Sprite pode ser um importante passo em direção da descoberta de vida fora da Terra.

“As distâncias são imensas, e é um grande desafio”, Manchester acrescentou. “Estamos bem distantes dos objetivos eventuais [da Breakthrough Starshot], mas estamos estabelecendo um precedente inovador aqui.”

Imagem do topo: Cortesia de Zac Manchester