A Samsung anunciou no começo da semana o Samsung Z, o primeiro smartphone do mundo a rodar o sistema operacional Tizen. Pelas fotos, a interface do Samsung Z lembra bastante o TouchWiz, a interface de usuário colocada pela Samsung em seus smartphones com Android. Mas, na prática, como é o Tizen?

O pessoal do The Handheld Blog colocou as mãos no smartphone e preparou um rápido hands-on em vídeo. O que podemos ver a partir dele é que sim, o Tizen realmente tem muitas coisas emprestadas do Android, mas há algumas diferenças na usabilidade geral dos dois sistemas.

Em relação às semelhanças, um dos pontos mais semelhantes com o Android e o TouchWiz é a barra de status: puxe ela da parte de cima da tela para encontrar a central de notificações. Na parte superior da tela estão atalhos para configurações como Wi-Fi, GPS, Bluetooth e mais. E, no canto superior direito, um botão de acesso às configurações. A interface da área de configurações lembra bastante o Android também, com uma lista mostrando todas as opções de configurações.

Pressione por alguns segundos o botão home para cair na tela de multitarefa – que, novamente, lembra bastante a do Android. Os apps aparecem em uma lista com o nome à esquerda e uma miniatura da tela dele à direita. Descarte um app aberto ao jogá-lo para um dos lados. Nenhuma novidade para quem está acostumado com o sistema do Google.

De diferente temos o acesso à lista de apps. Em vez de apertar um botão na parte inferior da tela inicial – ou, no caso da Samsung, o botão físico home -, basta deslizar de baixo para cima na tela. É o gesto oposto ao de abrir a central de notificações. A grade de apps é dividida em duas partes: duas linhas “fixas” ficam na parte superior mostrando oito apps definidos pelo usuário (como se fossem seus favoritos). Na parte de baixo, outras quatro linhas exibem os outros apps. Deslize o dedo para navegar por todos até encontrar o que você quer abrir – como você faz normalmente na grade de apps do Android.

No geral, a Samsung não arriscou muito na adaptação do Tizen para smartphones e apostou em uma interface que já é conhecida por seus usuários sem grandes alterações na usabilidade. Isso não é ruim, mas ainda precisamos ver como o sistema operacional se sairá no mercado – ele não roda apps de Android, então desenvolvedores precisam embarcar com a Samsung e adaptar seus apps para o Tizen, e o sucesso nessa área é fundamental para o futuro da plataforma no mundo dos smartphones.

O Samsung Z por enquanto só tem lançamento confirmado na Rússia, onde ele chega no terceiro trimestre deste ano. [The HandHeld Blog via Android Authority]