Os primeiros autotestes já têm data para chegar ao Brasil.

Na próxima semana, um lote com 20 milhões de unidades importado pela CPMH Produtos Hospitalares deve pousar em nossos aeroportos com os exames. O material será posteriormente distribuído em farmácias, lojas de artigos médicos e no comércio digital.

O Novel Coronavirus Autoteste Antígeno, como foi chamado, é produzido pela empresa chinesa Bioscience (Tianjin) Diagnostic Technology Co.Ltd. Ele atende aos critérios técnicos de qualidade e desempenho definidos pela Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa), e por isso recebeu aval na última semana

Ainda não há informações sobre preços

Em nota, a CPMH explicou que o valor depende da política comercial do estabelecimento que irá comercializar os autotestes. A expectativa é que o produto custe menos do que os testes rápidos oferecidos nas farmácias e realizados por profissionais da saúde. 

O produto da CPMH vem acompanhado de um QR Code, que dá acesso a um vídeo com instruções detalhadas de uso. Você pode conferi-lo aqui. Caso restem dúvidas, é possível entrar em contato com profissionais da empresa diretamente por e-mail, WhatsApp ou número telefônico (0800). Os endereços de contato estão disponíveis na bula do produto. 

O uso de autoteste é indicado entre o 1º e 7º dia do início dos sintomas, o que inclui febre, tosse, dor de cabeça e no corpo, entre outros. Pessoas que tiveram contato com uma pessoa infectada mas não apresentam sintomas podem fazer o teste após cinco dias. 

O exame não é recomendado para pacientes com sintomas graves, como falta de ar e saturação baixa. Nestes casos, é indicado procurar um médico. Ao mesmo tempo, o autoteste não deve ser interpretado como diagnóstico, mas sim como triagem. 

Ao receber o resultado positivo, o paciente deve manter o isolamento, impedindo a propagação do vírus. O resultado não serve como atestado médico e também não permite o embarque em voos internacionais.