Os drones vêm ganhando cada vez mais espaço nas mochilas de fotógrafos amadores e profissionais. Porém, manusear um drone e conseguir imagens incríveis não é tão simples quanto parece e talvez você não consiga aproveitar tudo que o equipamento pode oferecer!

Sendo assim, preparamos um post com dicas para fazer imagens aéreas bonitas e em segurança. Vamos voar:

1 – Faça testes em uma “altura baixa”

É importante entender como funciona seu drone, como virar e pairar no ar. Então a primeira dica é não levantar um voo tão alto e testar os movimentos em espaço pequeno e seguro, entender como usar os botões e perceber como visualizar a tela.

2 – Movimentos suaves

Quem não tem experiência, acaba dando comandos muito bruscos no controle, especialmente na hora de frear. Quando você solta o controle o drone fica parado por localização do GPS, ele tem que fazer uma força reversa para poder parar, o que pode gerar alguns trancos se a decisão de parar for tomada de repente.

Então, é interessante fazer movimentos suaves. Tanto para parar quanto para acelerar. Comece lentamente. Dessa forma, além de evitar surpresas, como o drone ir rapidamente para uma parede ou árvore, você também terá uma qualidade melhor de imagem quando estiver filmando, sem imagens tremidas.

Além disso, manusear seu aparelho com suavidade ajudará a economizar a bateria.

3 – Estude o ambiente

Também é importante ter o mínimo de conhecimento sobre o lugar que deseja registrar de cima. Para caso o drone fique sem bateria ou caia por qualquer falha técnica. Sabendo a localização, fica mais fácil de recuperar o aparelho caso ele caia.

4 – Ponto de interesse

Esse é um dos recursos mais interessantes nos drones da DJI, por exemplo, o que chamamos de movimento Matrix. Para conseguir esse movimento selecione um ponto de interesse e escolha uma distância que você quer ficar desse ponto e qual a direção quer que o drone faça o giro.

Também é possível determinar qual a velocidade desse movimento. O drone fará um voo circular mantendo a câmera sempre apontada para esse ponto. E você ainda pode continuar controlando manualmente a distância  e a altura.

Isso é muito legal para fazer imagens de locais mais altos, como uma torre de uma igreja ou uma árvore.

5 – Olhando para baixo

Um dos registros mais “simples”, mas que pode impressionar é a visão de cima para baixo. Para quem está começando é normal fazer registros com perspectiva, muito similar à imagem que temos quando estamos em um ponto alto.

Então vamos fugir do convencional. Podemos testar ângulos mais centralizados, é um ângulo de visão muito parecido com o de um satélite. E muitas vezes a gente pode se surpreender.

6 – Fazendo hyperlapse

Esse é um dos recursos mais legais para testar com seu drone. Ele é bastante utilizado no cinema e com certeza você já deve ter visto imagens do tipo e nem imagina que foi um drone. O hyperlapse nada mais é do que um timelapse com movimento.

Assine a newsletter do Gizmodo

Então, além de ter a aceleração do tempo do timelapse, quando se cria um hyperlapse, você acrescenta movimentos nesse vídeo acelerado. E com o drone, isso não é só possível como fica fantástico devido à extrema estabilidade que o voo te dá.

É mais ou menos assim que funciona. Para fazer o timelapse você tira várias fotos de um mesmo ponto, com a sua câmera parada, no hyperlapse, durante as pausas entre uma foto e outra, a câmera é movida alguns centímetros, dando a ideia de movimento no vídeo final. Por exemplo, você vai fazer uma foto por segundo durante cinco minutos de voo.

Confira um exemplo: