É quase impossível não querer escutar uma música em algum momento durante o dia. E graças aos streamings, isso se tornou algo simples e prático. As plataformas musicais estão cada vez mais populares, são inúmeras opções recheadas de músicas, artistas e conteúdos para todos os gostos. Mas você sabe qual é a melhor?

Spotify, Deezer, Amazon Music e Apple Music, o que difere esses streamings uns dos outros e qual será o melhor para aproveitar em 2022? Trocar, permanecer com o mesmo, qual vale mais a pena. Confira.

Deezer

O Deezer é o pioneiro entre os streamings, a plataforma chegou em 2007 e cresceu, mas não tanto quanto seus concorrentes que surgiram depois. Atualmente, o app tem um catalogo de mais de 73 milhões de músicas. Na assinatura básica, o Deezer conta com uma qualidade baixa de som, de apenas 320 kbps, enquanto sua assinatura HiFi tem apenas a qualidade de CD, ficando ainda mais atrás de seus concorrentes.

Já entre as principais vantagens, o app oferece um catálogo sólido, sistema de podcast e áudio de 360 ​​graus.

Além do plano gratuito, você também pode assinar o Deezer Premium por R$ 16,90 ao mês, ele ainda te da 90 dias de avaliação gratuita do serviço, que é cobrado apenas após o final do período de avaliação.

Spotify

Lançado oficialmente em 2008, o Spotify teve um crescimento vertiginoso e se tornou o queridinho do mundo todo. Atualmente, o app conta com um catálogo de mais de 82 milhões de músicas. O streaming possibilita a criação de playlists personalizadas e possui playlists criadas pela própria plataforma a partir dos sucessos de cada gênero musical ou atividade a ser realizada, como meditação, por exemplo.

Assim como o Deezer o Spotify também tem qualidade de 320 kbps. O plano Premium oferece 60 dias gratuitos e depois cobra R$ 19,90 por mês. Ele também oferece vantagens como a ausência de anúncios entre as músicas e conta com o recurso de download das músicas, playlists, podcasts e álbuns para ouvir offline. Confira aqui mais planos e valores. 

Amazon Music

O Amazon Music é o serviço de streaming da Amazon que estreou no Brasil em 2019, mas ele já existe desde 2008 e era o famoso Amazon MP3. O app da empresa de Jeff Bezos conta com um catálogo de mais de 75 milhões e pode ser usado em diversos dispositivos. Um dos pontos negativos do streaming é que ao seu usado pela primeira vez, alguns pop-ups vão interromper sua navegação para te fornecer dicas de informações que ocupam a tela toda do celular, em alguns casos até extrapolando a tela e ficando difícil de ler.

Todo o seu catálogo está em qualidade de CD HiFi, entretanto, apenas 7 milhões deles são oferecidos em qualidade de estúdio total.

O Amazon Music possui três opções de planos: individual, familiar e Echo/Fire TV. A primeira que para apenas uma pessoa, custa R$ 16,90 por mês. Já no plano familiar, é possível ouvir simultaneamente em 6 aparelhos distintos por um valor de R$ 25,90 mensais. E o mais em conta é o Echo/Fire TV, que custa R$ 6,90 por mês.

Apple Music

O streaming da Apple chegou um pouco mais tarde e só foi lançado apenas em 2015. Mesmo entrando com atraso para o ramo do streaming de música, a plataforma cresceu bastante e tem um catalogo de mais de 90 milhões, entre os principais, é a plataforma com mais conteúdos disponíveis.

Um ponto positivo do Apple Music é que ele entrega músicas em altíssima qualidade e não precisa ter um super ouvido para identificar isso. Já um ponto negativo é que apesar de existir uma divisão na organização de gêneros e playlists, por exemplo, no app tem alguns erros, como itens fora do lugar.

Outra desvantagem que é importante ressaltar é que a plataforma se concentra no ecossistema da Apple, se você usa o Android, existem limitações e, se usa o Windows, é melhor procurar uma outra opção.

Na Apple, também existem 3 opções de assinatura. Individual, familiar e premium. O primeiro custa R$ 26,50 por mês, o plano Familiar que pode ser usado também até 6 pessoas, é R$ 37,90 e o premium pode ser adquirido por R$ 69,50 por mês.

Leia também: como cancelar o Spotify sem perder suas playlists.