Em 2010, a Adobe lançou a primeira funcionalidade “inteligente” para o Photoshop: uma ferramenta chamada Preenchimento Sensível a Conteúdo (ou Content-Aware Fill, em inglês) que é capaz de remover e substituir de forma automática objetos de uma cena. Nesta quarta-feira (3), a companhia levará uma versão dessa ferramenta para o After Effects – a ferramenta faz a mesma coisa, mas em clipes de vídeo, o que é muito mais desafiador.

Uma das muitas razões pelas quais os softwares da Adobe dominam o mercado há anos é o forte investimento da empresa em pesquisa e desenvolvimento, e o fato de que muitas das ferramentas vindas desses esforços realmente aparecem no software.


After Effects Creative Cloud 2019. GIF: Adobe

É verdade que, quando foi lançado no Photoshop CS5, o Preenchimento Sensível a Conteúdo não funcionava muito bem e estava longe daquilo das demonstrações exibidas pela empresa. Mas ao longo do tempo, a ferramenta foi refinada e melhorada a ponto de, em boa parte das edições, as alterações ficarem praticamente perfeitas.

Agora, a Adobe está trazendo o Preenchimento Sensível a Conteúdo para o After Effects, que é utilizado para fazer de tudo quando se trata de efeitos especiais: gráficos e desenhos animados, integração de animações de computação gráfica com cenas reais ou preenchimento de telas como o chroma key.

Mas é aquilo: apagar e substituir um pedaço de uma imagem estática é uma coisa; fazer isso em vídeo, com múltiplos quadros que possuem conteúdo dinâmico, é completamente diferente.

A Adobe diz que isso é possível não apenas pelas melhorias feitas na ferramenta do Photoshop, mas também graças a plataforma Adobe Sensei – um framework de inteligência artificial e machine learning lançado há alguns anos e que está presente em muitos dos aplicativos da companhia.

A ferramenta Preenchimento Sensível a Conteúdo do Photoshop CS5 fazia todo o processamento de imagens na direto na máquina do usuário – o que limitava suas capacidades – mas a versão mais recente do After Effects Creative Cloud consegue passar parte desse trabalho para uma inteligência artificial na nuvem, que está em constante melhoria.

Remover um objeto de um vídeo não será um processo tão simples como para uma foto. Os usuários terão que criar máscaras que definam a região de um vídeo a ser apagado, usando máscaras animadas ou pintadas à mão ou as ferramentas de rastreamento automatizado do After Effects.

Será ainda mais desafiador para o software, já que as regiões de um frame que ele usa para preencher as lacunas depois que um objeto é removido podem não estar ali alguns segundos depois.

Para obter os melhores resultados, o After Effects também permite ao usuário apontar para áreas específicas de um enquadramento que será mais adequado como preenchimento das lacunas, ou os usuários podem criar frames de referência no Photoshop, que o AE irá utilizar para orientar as suas próprias edições.

A ferramenta de Preenchimento Sensível a Conteúdo para vídeos estará disponível para usuários do After Effects CC 2019 a partir de hoje. Será preciso baixar uma atualização de software.

A Adobe sugere que a ferramenta será especialmente útil para remover microfones que aparecem como intrusos na cena, apagar marcas d’água indesejadas ou excluir uma pessoa de um clipe.

Não espere resultados impecáveis imediatamente, mas com o tempo isso se tornará, sem dúvida, uma ferramenta poderosa e potencialmente controversa.