Há três anos, muito depois depois da ascensão (e queda) do Flash, a Adobe anunciou que a sua plataforma multimídia iria embora. Mas a companhia nunca ofereceu uma data específica para o fim da linha. Agora sabemos: o Adobe Flash vai parar de funcionar oficialmente em 31 de dezembro de 2020.

Os mais jovens podem ser perdoados por não conhecerem o Flash, que fez bastante sucesso no final dos anos 1990, e nos anos 2000. Muitos espaços da internet confiaram no Flash para adicionar interatividade aos sites, com animações, jogos e até mesmo vídeos. Na verdade, em seus primórdios, o YouTube dependia quase que inteiramente do Flash para fazer o streaming de vídeos para milhões de pessoas ao redor do mundo.

No entanto, isso mudou na segunda metade dos anos 2000, graças ao surgimento de plataformas mais poderosas de código aberto, como HTML5 e CSS3, e à necessidade de um padrão mais eficiente projetado para rodar em celulares. O Adobe Flash (ou Macromedia Flash como era conhecido antes da Adobe comprá-lo em 2005) rapidamente começou a perder seu apelo. E olha que nem entramos nos inúmeros problemas de segurança frequentemente causados por brechas do Flash.

Em 2010, Steve Jobs sinalizou o início do fim do Flash quando publicou uma carta aberta explicando porque a Apple não incluiria suporte ao Flash no iPad, iPhone ou qualquer produto futuro. Desde então, produtos e sites têm trabalhado para substituir o Flash ou implementar soluções e gambiarras para se livrar de uma plataforma outrora útil, mas agora ultrapassada.

O Flash não vai simplesmente desaparecer do ar em 31 de dezembro, mas Adobe afirmou que vai parar de distribuir e atualizar a ferramenta. Tem um lado negativo nisso, já que significa que o Flash não vai receber mais correções de segurança ou privacidade.

Para uma plataforma de software que durou mais de duas décadas e teve um papel importante na bolha da internet no final dos anos 1990 e começo dos anos 2000, o Flash durou muito mais tempo do que a maioria das pessoas imaginavam. Agora, é hora de se despedir.