Esta semana, em coisas que não podemos pagar: a empresa privada Excalibur Almaz começou a vender passagens para uma jornada à Lua. Para isso, a empresa comprou várias espaçonaves usadas da Rússia. O que poderia dar errado?

A empresa Excalibur Almaz foi criada por Art Dula, um advogado de patentes americano. Ela fica na Ilha de Man, próximo à Inglaterra, um lugar mais conhecido por corrida de motos que exploração espacial.

A empresa comprou quatro cápsulas reutilizáveis (e usadas) da Soyuz, mais duas estações espaciais Salyut de 29 toneladas. As duas estações vão orbitar ao redor da Lua; a Soyuz leva os viajantes super-ricos para lá, e então se acoplar a uma delas.

Então por US$155 milhões eu só dou uma orbitada e volto para casa? Pois é. Olha, por tanta grana assim (que eu não tenho e nunca terei) eu quero pelo menos andar pela superfície da Lua, onde eu vou sair, correr e chutar rochas lunares para fazer valer meu dinheiro. Essa viagem à Lua deve ser uma das piores em custo-benefício.

Os primeiros voos estão planejados para 2015. A empresa estima que a jornada vai levar seis meses, o que não faz qualquer sentido. De um jeito ou de outro, não consigo pensar em uma forma melhor de gastar uma soma gigante de dinheiro e correr o risco de explodir em um foguete com defeito. Felizmente a tecnologia nos trouxe até este ponto. [Huffington Post e Wall Street Journal]

Imagem por Shutterstock/Michelangelus