A empresa usou como fonte sua base de dados e os aviso de Parental Control ao redor do mundo. Às 23 horas, no horário de pico, 4 milhões de alertas pipocam na tela dos usuários, com uma média de 3 mil acessos proibidos por minuto. Faz sentido, a família já foi dormir, você está lá no escurinho do quarto, sozinho, forever alone…

Mas na América Latina o fenômeno da pornografia tem horário diferente. Ele é espalhado entre às 15h e às 20h, com pico total às 16h. Segundo a Kaspersky, a explicação é o horário do colégio: como a pesquisa foi feita baseada no Parental Control, esse é o horário que quem estuda de manhã costuma sentar na frente do computador. E da-lhe guerra contra o controle. Depois das 18h, horário que os pais começam a chegar, o movimento começa a diminuir. Hora de jantar, né, criançada. [IDG]