Atualizado às 16:38

O Google já tem falado há um tempo do Android P, e nesta segunda-feira (6) a companhia finalmente anunciou o início da atualização (por ora, limitada a aparelhos Pixel) e o nome da versão 9 do sistema do robôzinho: Pie (torta).

A companhia faz questão de dizer que este sistema é todo baseado em inteligência artificial, pois conta com recursos que tentam prever ações, priorizam o uso da bateria e que também auxilia os viciados em smartphone a usar menos o dispositivo.

As melhores funcionalidades que encontramos no beta do Android P

Em algumas ocasiões, falamos das principais novidades do sistema. Então, vamos retomar algumas delas abaixo:

Um novo visual e novos truques

Embora os apps do Google, como o Gmail e o Tarefas, já tenham recebido uma atualização recente no visual, no Android Pie, a empresa vai implementar o que eles chamam de Material Design 2. As mudanças incluem linhas minimalistas, o uso de ícones mais circulares e um novo dock na parte de baixo para tornar as coisas mais organizadas e fáceis de usar.

Até a parte de interação ganhará uma pequena reformulação. Como no iPhone X, ao arrastar o dedo de cima para baixo, será possível ver quais apps estão abertos.

Sugestões mais espertas

Para realizar as tarefas que você já faz no seu smartphone com maior facilidade e rapidez, o Google está introduzindo App Actions (Ações de app) que combinam múltiplos aplicativos e ações passadas em novas sugestões de tarefa dentro da gaveta de aplicativos.

O Android Pie também ganhou suporte a telefones com notch (aquele corte na tela dos aparelhos atuais em que geralmente vão sensores e a câmera frontal) e a habilidade de fazer anotações em capturas de tela assim que você as capta. Novas atualizações de segurança de apps vão prevenir que apps em segundo plano acessem sua câmera ou microfone. Há também novas restrições para evitar que apps monitorem como você está gastando seus dados.

E, para ajudar a aliviar suas preocupações com bateria, a nova tecnologia de bateria adaptável pode automaticamente ajustar a velocidade do processador para priorizar a abertura de seus apps favoritos. Além disso, o Adaptive Brightness aprende as configurações do usuário e passa a usar automaticamente as definições de brilho.

Bem-estar digital

A companhia informou que seu objetivo é melhorar o bem-estar digital das pessoas. Então, o Android Pie ganhou um novo dashboard que mostrará quanto tempo você gasta usando o smartphone, quais apps você têm mais utilizado e o que você está utilizando neles. E se você notar que o tempo gasto em algum app é muito longo, o Google possibilita a configuração de um temporizador para limitar o uso.

Por que as empresas começaram a se importar com vício tecnológico

Quando for a hora de ir para a cama, o Android Pie contará com um novo modo “wind down”, que fará a transição do seu dispositivo para uma escala em cinza, que, segundo o Google, é muito menos estimulante e ajudará a pessoa a dormir mais cedo. No entanto, para as pessoas que verdadeiramente querem se desconectar, tem ainda o modo “Shush”, que é uma forma especial do “Não Perturbe” acionada quando a face do aparelho está virada para baixo.

Por ora, a funcionalidade não está liberada para todos, apenas usuários beta, que podem se inscrever para ter a funcionalidade clicando aqui. O recurso deve ser liberado aos poucos para os usuários.

Disponibilidade

Por ora, a prioridade são os dispositivos Pixel. No entanto, o Google diz que até o fim do outono no hemisfério norte (entre setembro e dezembro), aparelhos de marcas que participaram do programa beta da empresa — Sony, Xiaomi, HMD Global, OnePlus, Oppo, Vivo e Essential — receberão o update. Além disso, dispositivos Android One também entram no bonde e devem ter a atualização ainda neste ano.

Sobre as outras companhias, o Google diz apenas que está trabalhando com outros parceiros para atualizar para o Android 9 ainda neste ano.

[Google]