Como esperado, o Google revelou hoje durante a conferência I/O alguns detalhes sobre sua investida em realidade virtual. Tivemos também novidades para o Android Wear, e um pedido (malandro) da empresa: você pode ajudar a decidir um nome oficial para o Android N?

>>> O Google tem dois novos apps para conversas: Allo e Duo
>>> Google Assistant: um novo assistente virtual baseado em inteligência artificial
>>> Google Home: o alto-falante inteligente que vai rivalizar com o Amazon Echo

Google Daydream

Comecemos pelo Google Daydream: trata-se da plataforma de software para realidade virtual no Android N.

Como explica Clay Bavor, que comanda a iniciativa VR do Google, o Android N ganhará um modo VR com otimizações para reduzir a latência movimento-fóton, ou seja, o tempo de resposta entre você se mover e a interface responder ao movimento. Eles prometem latência abaixo de 20 milissegundos.

google daydream 3

O Daydream vai estrear com parceiros de conteúdo, como Netflix, HBO Now, IMAX, New York Times e NBA; além de empresas de jogos como EA e Ubisoft. E você poderá comprar e instalar apps direto na realidade virtual, através da Play Store.

Tudo isso vai funcionar com um headset de realidade virtual que virá com dispositivos da Samsung, LG, HTC, Alcatel, Asus, Huawei, Xiaomi, entre outras. O Google preparou um design de referência para headsets, para ser confortável e fácil de colocar e tirar.

google daydream

Além disso, ele inclui um controle com sensor de orientação, para que você possa mover a mão e interagir com o conteúdo.

Os primeiros dispositivos compatíveis com o Daydream serão lançados no quarto trimestre.

Android Wear 2.0

O sistema do Google para relógios ganhará atualizações espertas com o Android Wear 2.0, que tornarão o dispositivo um pouco menos dependente do smartphone. Durante a apresentação no I/O, foi mostrado o exemplo de um usuário que abriu o Spotify a partir do app de corrida Strava. Tudo isso com o portátil longe do telefone celular.

O foco do update é melhorar as experiências de app de saúde, mensagem e personalização do aparelho. Ele contará com uma espécie de “treinador pessoal”. Relógios com o novo Android Wear terão uma espécie de sensor de atividade e as informações serão centralizadas na Google Fit API. Dessa forma, informações de calorias de um app de nutrição podem ser sincronizadas com a de um app de corrida.

typing

As faces do relógio, como no Apple Watch, mostrarão informações de qualquer app que suporte a plataforma — o que facilita na tarefa de ver o status de determinados apps com apenas uma olhada. Enviar mensagens se tornará mais fácil com sistemas melhoras de auto-resposta e a possibilidade de “escrever” na tela do gadget com a ajuda de um software de reconhecimento.

O Android Wear 2.0 será disponibilizado durante o quarto trimestre.

E o Android N?

O Google tem a tradição de dar nome de doces ou sobremesas ao sistema Android — os últimos foram Jelly Bean, KitKat, Lollipop e Marshmallow. Mas o que fazer com a letra N, a próxima na linha de sucessão? Qual será o doce?

Bom, o Google parece que também não sabe. Então, a empresa anunciou o site www.android.com/versions/name-n/ em que as pessoas podem votar em um nome para o Android N. Porém, a linha fina do regulamento da iniciativa é muito clara: “Esta ação se destina apenas a fins de entretenimento”. Ou seja, perca seu tempo sugerindo nomes que nenhum deles deverá ser usado.

Fora isso, teve outras novidades? Bom, as novidades do Android N serão as que o Google têm falado ao pouco nos últimos meses. Nenhuma mudança drástica, mas atualizações que deixarão seu smartphone mais esperto. Alguns recursos: modo economia de energia, escrever respostas direto na gaveta de notificações, novos emojis, launcher shortcuts, modo multitarefa, entre outros.