Cinemagram

Cinemagram (grátis): Exatamente um ano (!) depois de ser anunciado, o Cinemagram desembarcou no Android. O app, até então exclusivo para iPhone, permite gravar pequenos trechos em vídeo e convertê-los para GIF animado, com toda uma produção no meio do caminho onde é possível manter apenas uma porção da tela em movimento. É como a arte da cinemagrafia, porém com recursos (e qualidade) limitados. O app ainda precisa de polimento, os resultados são bem espartanos, mas a brincadeira é divertida e tem toda aquela coisa de rede social — amigos, curtidas, compartilhamento em outras redes etc.

Rando (grátis): Logo de cara, já fica bem claro: o Randon é um experimento. Uma plataforma de troca de fotos experimental, para ser mais exato. O app seria mais uma micro-rede social para compartilhamento de fotos não fosse um detalhe importante, o anonimato. Você nunca sabe de quem é a foto que está vendo e quem vê a sua, também fica envolto nessa cortina de mistério. Para ver uma foto, é preciso mandar outra. Não há integração com outras redes sociais, não há curtidas, comentários, amigos, nada. É a foto pela foto. O único recurso além de tirar/ver fotos é montar uma coleção. Um app cheio de ideias legais e que valoriza única e exclusivamente a fotografia.

BusFinder SP.

BusFinder SP (grátis): Apps para saber rotas de ônibus existem aos montes (e o próprio Google Maps faz isso), mas o BusFinder SP tem alguns diferenciais bacanas. Ele é bem rápido por não ser baseado no web app do Maps, o que já conta pontos positivos. Além disso, faz cache para acesso offline das linhas, não tem limites para favoritos e outras áreas importantes e mostra, no mesmo mapa, diversos dados, como ver os ônibus de uma mesma linha ao mesmo tempo.

AlterEgo (grátis): Eis um jogo de plataforma com toques de Portal. Ou Prey. Algo assim. Em cada nível você anda, coleta itens e destrói inimigos alternando a sua presença física com a do seu alter ego. Parece complicado e, sem dúvida, em algum ponto avançado a mecânica do jogo fará seu cérebro entrar em parafuso, mas até lá você já terá aprendido o esquema. Existe ainda uma versão alternativa/diferente/continuação, AlterEgo: DreamWalker, por US$ 2.

Photosphere Live Wallpaper

Photosphere Live Wallpaper (grátis): O recurso Photo Sphere, do Jelly Bean, é bacana apesar das falhas, mas seu alcance é muito limitado. Só é possível interagir com as esferas através da Galeria do smartphone ou pelo Google+. Este app abre mais um espaço para elas: as telas iniciais do sistema. Com ele, dá para usar as esferas como wallpapers animados. Não sabemos ao certo qual o impacto que ele tem na bateria, mas o efeito é bacana — e quem não tem o Android 4.2 ainda pode ver como fica com a esfera de exemplo que acompanha o app.

File Expert HD (grátis): Dispositivos móveis têm a vantagem de dispensarem, na maior parte do tempo, gerenciadores de arquivos. Cada formato abre em seu próprio app e o conceito de árvores de pastas e outras coisas tão comuns no Windows, Linux e OS X passam despercebidos quase sempre. Mas… e quando algo assim é necessário? O Android é bem servido e a versão “HD” do File Expert estende a oferta de apps do tipo para tablets. Este aqui é bem poderoso, suporta vários formatos, tem atalhos para um punhado de ações, conversa com drives virtuais e protocolos de transmissão de arquivos (FTP, WebDAV, Bluetooth etc), descompacta arquivos, gerencia apps e muito mais. Um canivete suíço, caso precise de um.

AutomateIt

AutomateIt (grátis): Este não é um app novo, mas recebeu uma atualização há pouco que acrescentou condições climáticas ao rol de gatilhos. Não, não é uma arma, é um app que automatiza certas ações do smartphone, como o Tasker, ou o Smart Actions (exclusivo da Motorola). O AutomateIt fica, no que diz respeito à relação recursos-dificuldade de uso, entre esses dois, e é bem poderoso. Existe ainda a versão Pro, por US$ 1,49.