Nós falamos por aqui sobre “anéis inteligentes”, que permitem controlar dispositivos à distância usando movimentos da mão. Um deles era o Ring, que conseguiu US$ 880.998 em financiamento no Kickstarter – infelizmente, ele não entrega o que prometeu. Mas nem de longe.

O anel começou a ser enviado para os apoiadores do projeto, e Quinn Nelson – do canal Snazzy Labs no YouTube – mostra como o gadget funciona mal:



Em primeiro lugar, o Ring é caro demais. Existem smartwatches que permitem controlar seu smartphone à distância e custam US$ 200. Este anel com Bluetooth, por sua vez, está à venda por US$ 270! (Na campanha do Kickstarter, ele custava entre US$ 145 e US$ 185.)

Em segundo lugar, como aponta o vídeo, esse anel é enorme e desconfortável. Não dá nem para dobrar o dedo ou fechar a mão! Como dissemos antes, encontrar espaço para todos os sensores – e a bateria – em uma pulseira ou relógio já é um campo minado… imagine fazer o mesmo em um anel.

Para ativar o Ring, você precisa tocar em um botão capacitivo na lateral. Só que ele nem sempre funciona, e então é preciso resetar o anel.

O software é ainda pior: “os gestos funcionam cerca de 5% das vezes”, diz Quinn. Ele entrou em contato com o suporte técnico, mas eles sugeriram que essa taxa de sucesso é normal para o produto.

Tem mais: o app do Ring precisa estar aberto para o anel funcionar, tanto no iOS como no Android. Ou seja, você tem que desbloquear seu smartphone, abrir o app, esperar que o anel se conecte via Bluetooth para poder fazer seus gestos com o dedo.

Comparar o Ring real com a versão apresentada no vídeo do Kickstarter é um exercício de comédia. Ele deveria ser capaz de tanta coisa, e não chega nem perto:

Tudo isso poderia ser resolvido com atualizações de software e versões futuras do Ring? Talvez. Mesmo assim, duvidamos que um “anel inteligente” seja realmente útil. Como apontamos antes, o problema é que ele acrescenta outra camada de interação ao que você quer fazer:

Digamos que você esteja escrevendo uma mensagem de texto para alguém. O Ring permite que você escreva a mensagem no ar, em vez de digitá-la no seu celular ou relógio inteligente. Uau! Mas você ainda precisa selecionar um contato, e personalizar a mensagem de outras maneiras. Agora me diga, o que é mais fácil: desenhar um ícone de mensagem no ar, ou sacar seu smartphone do bolso?

Este é também mais um lembrete de que nem todo projeto de crowdfunding entrega o que promete, mesmo quando (ou especialmente quando) arrecada muito mais do que a meta original. Lembra-se do smartwatch Kreyos, que fracassou após receber US$ 1,5 milhão via Indiegogo? Pois é.

Projetos de crowdfunding não são necessariamente ruins: há alguns sucessos exemplares, como o Oculus Rift, o smartwatch Pebble, entre outros. Mas às vezes, essas campanhas prometem muito mais do que podem cumprir – então cuidado ao investir nelas. [YouTube via Reddit]