Como forma de precaução, autoridades junto da British Antarctic Survey (Pesquisa britânica na Antártida, em tradução livre) decidiram paralisar a Estação de Pesquisa Halley VI durante o inverno. A decisão veio depois de uma nova rachadura no gelo surgir a apenas alguns quilômetros do local.

• Um bloco de gelo na Antártida está a ponto rachar e criar um dos maiores icebergs da história
• Rachadura na Antártida ameaça estação britânica de pesquisa climática

A estação móvel Halley VI está agora nos estágios finais de ser realocada a 23 quilômetros de sua posição atual. Ela ficará acima de uma problemática fenda de gelo que surgiu em 2012. No final do ano passado, uma segunda fenda emergiu a cerca de 17 quilômetros ao norte da estação de pesquisa.

O posto fica na Plataforma de gelo Brunt da Antártida que possui 150 metros de espessura, mas está mostrando sinais de um colapso iminente. As plataformas de gelo da Antártida racham em intervalos irregulares, produzindo grandes icebergs. E geralmente, a parte de gelo que sobra é muito instável.

mapa-estacaoImagem: BAS

Pesquisadores da British Antarctic Survey não estão certos se a Plataforma de Brunt irá quebrar, quando isso pode acontecer, ou quais efeitos que isso pode provocar em todo o bloco de gelo. E não estão contando com a sorte, por isso em março de 2017 a estação será abandonada. Os pesquisadores estão tentando assegurar que a coleta de dados científicos continue mesmo com sua ausência.

“O trabalho atual de realocar nossa estação está indo muito bem”, disse o diretor de operações da BAS, Time Stockings, num comunicado. “Esse projeto de engenharia desafiador está programado para ser finalizado conforme planejado, no começo de março de 2017. Nós queremos fazer as coisas certas pelo nosso pessoal. Trazê-los de volta durante o inverno é uma precaução prudente dadas as mudanças que os nossos glaciologistas observaram na plataforma de gelo nos últimos meses. Nosso objetivo é preparar a estação para o inverno e deixá-la pronta para ser reocupada assim que a estação acabar”.

halley-vi-2Imagem: BAS

O risco de desprendimento de parte do gole obviamente é maior durante o verão, mas o problema aqui é de acessibilidade. Uma evacuação ágil seria relativamente mais fácil durante a estação quente da Antártida, já que durante o inverno (entre março e novembro), resgatar equipes significaria enfrentar 24 horas de escuridão, temperaturas extremamente baixos e um mar congelado.

[British Antarctic Survey]

Imagem do topo: Estação de Pesquisa Halley VI. Crédito: BAS.