A Apple não tem o costume de anunciar produtos que são cancelados antes de chegarem ao consumidor. Porém, esse foi o caso do AirPower, um carregador sem fio que tinha a promessa de carregar vários dispositivos da empresa simultaneamente. O projeto ganhou algumas imagens de conceito, mas não passou disso, já que acabou cancelado em 2019. Agora, dois anos depois, finalmente temos uma ideia de como seria uma das versões finais do acessório.

Giulio Zompetti é um colecionador de produtos da Apple, e divulgou em seu Twitter nesta quinta-feira (5) um dos últimos protótipos do AirPower. Em entrevista ao The Verge, o italiano de 28 anos contou que conseguiu comprar a base de uma fonte chinesa responsável por reciclar lixo eletrônico. Por conta disso, o acessório está claramente inacabado, uma vez que não inclui a carcaça branca que ficaria na parte superior para proteger os componentes internos.

Por falar nisso, as imagens dão uma dimensão de como funcionaria o carregamento wireless do AirPower. São 22 bobinas na parte da frente e 22 circuitos na parte de trás. Zompetti afirmou que foi capaz de recarregar dois dispositivos ao mesmo tempo usando a base, mas que ambos também eram protótipos de iPhone.

“Não funciona com dispositivos de produção [em massa]. É um protótipo de engenharia, não foi feito para ser plug em play. Quando conectei meu cabo serial Lightning a ele, pude ver alguns caracteres no log. Então, depois de fixar a taxa baud, fui capaz de ler um log compreensível”, explicou. Em todo o caso, o protótipo parece ter sido mesmo uma das últimas versões do finado AirPower, já que, ao conectar o protótipo especial de iPhone, foi exibida uma animação característica das conexões de produtos da Apple.

Assine a newsletter do Gizmodo

A volta dos que não foram

O carregador sem fio AirPower foi anunciado em 2017 junto com os iPhones 8 e X. A ideia da Apple era justamente oferecer aos consumidores uma base capaz de carregar até três dispositivos ao mesmo tempo — um iPhone, um Apple Watch e um AirPods. A previsão era que o acessório começasse a ser vendido em 2018, mas enfrentou inúmeros atrasos. Um ano depois, a Apple oficializou que não estava mais desenvolvendo o projeto por ele não ter atingido seus padrões, embora não tenha fornecido nenhuma explicação mais concreta.

[The Verge]