Lançado no ano passado com os novos MacBooks, o chip M1 marcou o início da transição da Apple para a fabricação dos próprios processadores — e encerrando uma parceria de longa data com a Intel, que equipava os notebooks e desktops da empresa até então. E como não há tempo para descanso, a Apple já estaria nos estágios finais de fabricação em massa do M2, que visa suceder o M1 ainda este ano.

Fontes familiarizadas com o assunto contaram ao jornal Nikkei que a companhia iniciou a produção dos novos chips na Ásia. Eles seriam fabricados pela Taiwan Semiconductor Manufacturing Company (TSMC) e, por serem produzidos em larga escala desde já, estariam prontos para serem colocados em novos dispositivos a partir de julho. Com isso, a empresa prevê lançar os próximos MacBooks no segundo semestre.

Pouco se sabe sobre o M2. Inclusive, ainda não foi oficializado se esse será o nome do sucessor do chip M1. O que foi comentado pelos informantes ao Nikkei é que o processador está sendo fabricado baseado na mesma arquitetura de 5 nanômetros e no mesmo esquema de sistema-em-um-chip (SoC, na sigla em inglês) do M1. Dessa forma, o sucessor manteria os mesmos 8 núcleos de CPU, 8 núcleos de GPU e 16 núcleos de Neural Engine, com memória unificada de até 16 GB.

Também estão na mira da especulação quais modelos de MacBooks serão apresentados e quais funcionalidades estarão presentes nos dispositivos. O rumor que mais tem ganhado força nos últimos meses é que a Apple vai apostar em um MacBook Pro de 14 polegadas, podendo, assim, aposentar a versão atual de 13 polegadas, e atualizar o MacBook Pro de 16 polegadas com o novo chip. Hoje, a companhia só vende o modelo maior com processadores da Intel.

Outro boato bastante comentado é que pelo menos uma das versões do futuro MacBook Pro terá, além das portas Thunderbolt, uma entrada para HDMI e outra para cartão de memória.

Assine a newsletter do Gizmodo

Fato é que a Apple parece estar empenhada em levar o chip M1 e seus futuros sucessores à maior quantidade de dispositivos da empresa. Na semana passada, o novo iPad Pro foi anunciado já com o processador M1, que até então era exclusivo dos MacBooks lançados no segundo semestre de 2020.

[Nikkei Asia, iMore]