Os nossos smartphones estão escutando as nossas conversas ou é só teoria da conspiração? O pessoal da VICE garante que não é paranoia e que estamos sendo vigiados. Já uns pesquisadores fizeram testes por um ano e concluíram que essa história é balela.

A Apple, por sua vez, disse aos parlamentares dos Estados Unidos que não grava nem ouve o que as pessoas estão falando, muito menos permite que aplicativos de terceiros adotem essa prática.

• Estes acadêmicos testaram por um ano se os celulares estão nos ouvindo secretamente
• O Google não escaneia mais a sua caixa de entrada, mas permite que outros apps o façam

O questionamento veio dos congressistas Greg Walden, Marsha Blackburn, Gregg Harper e Robert Latta. Eles escreveram uma carta ao CEO da Apple, Tim Cook, questionando se os smartphones e alto-falantes inteligentes como o HomePod poderiam “coletar dados de áudio ‘não solicitados’ quando usuários conversam perto de um dispositivo” para conseguir “ativar a frase de comando, […] como ‘Hey Siri'”.

A agência de notícias Reuters teve acesso à carta que a Apple enviou a Greg Walden, que chefia o Comitê de Comércio e Energia da Casa.

De acordo com a companhia, nenhum iPhone ou HomePod pode ouvir a voz dos consumidores sem o consentimento prévio e essa mesma regra vale para desenvolvedores que trabalham com sua plataforma.

A Apple afirma ainda que vem removendo aplicativos da App Store que violam qualquer regra de privacidade, mas que “não monitora e não pode monitorar o que desenvolvedores fazem com os dados que coletam, ou impedir que um desenvolvedor transfira a informação posteriormente”.

Os mesmos congressistas fizeram o mesmo questionamento ao Google, que foi procurada pela Reuters, mas não respondeu se enviou os esclarecimentos. A Apple também se recusou a fazer mais comentários sobre a carta enviada.

Uma porta-voz da maioria Republicana do Comitê de Comércio e Energia da Casa disse que “ambas as companhias têm cooperado até agora”.

[Reuters]

Imagem do topo: Flickr/Kārlis Dambrāns