A Apple está, supostamente, projetando chips em larga escala para reduzir a dependência de fabricantes terceiros — como a Qualcomm. Os processadores da série M da gigante da tecnologia têm sido a última moda no mundo da computação desde sua estreia no MacBook Air, em 2020. Mas, embora a Apple tenha tirado o coração de seus laptops e tablets da Intel, outros órgãos ainda são produzidos por outras empresas. E, como sabemos, a Apple não confia em coisas que não são da Apple.

O analista da Apple, Ming-Chi Kuo, disse no início deste ano que a empresa liderada por Tim Cook desenvolveria seu próprio modem 5G, o chip que conecta você a uma rede de celular. Ele serviria para substituir o atual, da Qualcomm, presente em iPads e iPhones. Kuo parecia incerto quanto ao cronograma, mas disse que a troca aconteceria em 2023 “no mínimo”.

Um novo relatório da Nikkei Asia alega que a Apple está se aproximando de um acordo com a Taiwan Semiconductor Manufacturing Company (TSMC) para lançar um modem 5G para iPhone em 2023. Citando fontes não identificadas, o relatório diz que a Apple está usando uma matriz de 4 nanômetros para construir um Modem 5G, com tecnologia de ondas milimétricas e seu próprio chip de gerenciamento de energia para garantir que tudo funcione perfeitamente.

O relacionamento conturbado da Apple e da Qualcomm está bem documentado. Os dois gigantes da tecnologia estão travados em uma rivalidade de longa data que se intensificou quando a Apple levou a fabricante de chips ao tribunal, cobrando royalties “desproporcionais” por seus chips de modem além das taxas de licenciamento. As duas empresas finalmente resolveram todas as ações judiciais em andamento e concordaram com um contrato de licença de seis anos.

O reencontro não foi feliz. Os planos da Apple de construir seus próprios modems não são segredo depois que a empresa mostrou sua mão ao comprar o negócio de modems para smartphones da Intel por US$ 1 bilhão, poucos meses após resolver a disputa do modem com a Qualcomm. A Apple deve usar chips Qualcomm em seus próximos iPhones antes de eliminá-los rapidamente. A Qualcomm, que fornece os modems (entre outros chips) para a maioria dos smartphones, disse que espera responder por apenas 20% dos pedidos de modems para iPhone em dois anos.

Usando seus próprios modems, a Apple pode ficar de olho na qualidade e no fornecimento de seus chips. Manter as coisas internamente também deve permitir uma melhor integração em toda a gama de produtos da Apple para permitir velocidades mais rápidas e menor latência. 

A Apple envergonhou a Intel com seus mais recentes processadores da série M e agora tem outra chance de provar que lida com as coisas por conta própria – contanto que possa navegar em mais batalhas jurídicas em potencial.