No início desta semana, a Apple lançou as tecnologias Lossless e Áudio Espacial com Dolby Atmos para todos os assinantes do Apple Music, sem custo adicional. Ativar as novas configurações é fácil, mas os formatos podem ser confusos — principalmente no que diz respeito aos dispositivos e acessórios compatíveis. Por exemplo, você precisa de um AirPods Pro para aproveitar toda a experiência? É necessário um iPhone 12 Pro Max?

A resposta curta é: não, não precisa ter os aparelhos mais recentes ou avançados. No entanto, vamos destacar o que todas essas tecnologias significam, como o Dolby Atmos pode mudar por completo a audição de músicas e quais equipamentos possuem suporte.

O que é áudio espacial?

Áudio espacial é o termo da Apple, e de outras fabricantes que já utilizam essa especificação, para áudio imersivo. Pense nisso como uma espécie de sistema de som surround digital que você pode colocar diretamente no ouvido. Agora, você pode usá-lo com o AirPods Pro e o AirPods Max ao transmitir conteúdo de vídeo compatível na Apple TV. O legal é que ele utiliza o rastreamento da cabeça por meio dos sensores nesses dois fones de ouvido. Então, digamos que você esteja assistindo a um filme Star Wars no Disney+ e há uma explosão à distância na sua frente. Se você virar a cabeça para a direita, ouvirá a explosão em seu ouvido esquerdo.

O que é Dolby Atmos?

Em termos mais simples, Dolby Atmos é um tipo de som surround que simula um espaço tridimensional. O mais legal nisso é que adiciona altura e, em comparação com os formatos de som surround anteriores, não exige que o som seja atribuído a canais específicos. Isso, por sua vez, permite que os sons sejam emitidos em um ponto específico do ambiente.

Por exemplo, uma configuração de home theater com som surround 5.1 exigiria que uma espaçonave no céu fosse programada para ir direto do “alto-falante esquerdo” para o “alto-falante direito”. Com o Dolby Atmos, esse som pode movimentar-se mais suavemente sobre sua cabeça. Isso significa que a mixagem de som não está mais limitada ao número de alto-falantes que você possui. É como se fosse uma bolha de som 3D.

Áudio espacial e Dolby Atmos são a mesma coisa?

Não. Você pode pensar no áudio espacial como uma camada extra, uma espécie de Dolby Atmos+. Enquanto este segundo cria uma paisagem sonora envolvente, o primeiro adapta essa paisagem sonora para onde você está dentro dela. O que é confuso é que o áudio espacial também pode se referir, de maneira mais geral, ao áudio envolvente.

Imagem: Adam Clark Estes/Gizmodo
Imagem: Adam Clark Estes/Gizmodo

E o áudio espacial no Apple Music? E o áudio lossless?

No momento, não há muita diferença entre áudio espacial e Dolby Atmos no Apple Music. Isso vai mudar entre setembro e dezembro, quando a Apple adicionar rastreamento dinâmico de cabeça para os AirPods Pro e AirPods Max.

Áudio Lossless, ou áudio sem perdas, é uma coisa totalmente diferente e se refere à resolução geral dos arquivos de música digital. Quando você faz streaming de música, ela é compactada e, como resultado, pode perder alguns detalhes de sua gravação original. Quanto maior for a resolução, melhor será o som da música. Isso significa que você precisa de um conversor digital para analógico para seus fones de ouvido com um conector, já que o Bluetooth não oferece suporte para áudio sem perdas.

Então eu não preciso de um AirPods?

Sim e não. Nem todas as músicas do catálogo do Apple Music são mixadas em Dolby Atmos. Se quiser alternar automaticamente entre os formatos, você precisa de um AirPods, AirPods Pro ou AirPods Max com áudio espacial ativado, ou fones de ouvido da Beats compatíveis com a tecnologia. Ela também está disponível nos alto-falantes dos seguintes dispositivos:

  • iPhone XR ou posterior (exceto para o iPhone SE);
  • iPad Pro de 12,9 polegadas de 3ª geração ou posterior;
  • iPad Pro de 11 polegadas;
  • iPad de 6ª geração ou posterior;
  • iPad Air de 3ª geração ou posterior;
  • iPad mini de 5ª geração ou posterior.

Se você não tiver fones de ouvido da Apple, ao escolher as configurações Dolby Atmos, terá que selecionar a opção Sempre ligado para usufruir do recurso. Mas como a parte do rastreamento dinâmico da cabeça do áudio espacial depende de acelerômetros, você não conseguirá experimentar essa função, uma vez que ela só será lançada daqui alguns meses.

Assine a newsletter do Gizmodo

Isso vai fazer uma grande diferença? Para a maioria das pessoas, provavelmente não. Eu testei várias faixas do Dolby Atmos no Apple Music com o AirPods Pro e o Skullcandy ANC Crusher. Honestamente? Ficou ótimo em ambos os fones. Sim, achei que soava melhor no AirPods Pro, mas não o suficiente em comparação com o acessório concorrente. A editora Caitlin McGarry fez o mesmo teste usando o Sony WH-1000XM4 e o AirPods Max, e obteve os mesmos resultados. Portanto, a menos que você realmente queira o rastreamento dinâmico de cabeça, não precisa ter o AirPods Pro ou AirPods Max para curtir músicas envolventes no Apple Music.

Conclusão

A melhor coisa a fazer é considerar o que você realmente quer de tudo isso e gastar seu dinheiro de acordo com o que você tem preferência. Se você quiser a coisa toda — áudio sem perdas, Dolby Atmos e rastreamento dinâmico de cabeça — então sim, você pode querer considerar o AirPods Max, desde que seu bolso aguente o tranco de desembolsar os R$ 6.899 cobrados pela Apple aqui no Brasil. Agora, se você não dá a mínima para essas funções, qualquer fone de ouvido Bluetooth deve servir, desde que você escolha as configurações certas.