Durante meses, houve rumores de que a Apple iria lançar um smartwatch barato — uma alternativa acessível ao seu dispositivo principal, muito parecido com o iPhone SE. E foi exatamente isso que a empesa fez, mantendo até o nome: o Apple Watch SE de US$ 280 é uma versão mais barata do Series 6 de US$ 400. Mas a Apple também manteve o Series 3 de US$ 200, o que complica um pouco as coisas quando se trata de decidir qual Apple Watch você deve comprar.

Aqui no Brasil, não podemos dizer que o Apple Watch SE é exatamente acessível em termos de preço, visto que ele começa em R$ 3.799. Ainda assim, há uma grande diferença quando comparado com o Series 6, que custa a partir de R$ 5.299.

Estou aqui para dizer que a maioria das pessoas (mas não todas) deveriam optar pelo Watch SE. E antes que você pergunte, por amor aos meus filhos que ainda não nasceram, eu escrevi algumas milhares de palavras sobre por que você não deve comprar um novo Series 3.

Digo isso porque o Watch SE funciona como um smartwatch de última geração, sem o preço de um produto de última geração. Em resumo, o Watch SE vem com o chip S5 do Series 5, além de contar com os mesmos sensores de movimento, altímetro sempre ligado e sensor óptico de frequência cardíaca do Series 6. Ele tem detecção de queda e chamada de emergência. Apple Pay? Sim, ele tem. Você pode escolher entre as versões só com GPS e com conexão móvel. Ele irá notificá-lo se sua frequência cardíaca estiver anormal.

O que falta são recursos avançados de saúde, como o sensor elétrico de frequência cardíaca que ativa o ECG e o novo sensor SpO2 para monitoramento de oxigênio no sangue, e o display sempre ativo. Isso não é uma grande desvantagem e ele é US$ 120 (ou R$ 1.500) mais barato do que o Series 6.

Além disso, em 99% dos recursos do dia a dia, ele tem um desempenho tão bom quanto um Series 5 — com uma duração de bateria ligeiramente melhor. Na verdade, em duas semanas de testes, eu quase me esqueci de que não estava usando um Series 5.

Apple Watch SE
Apple Watch SE. Crédito: Victoria Song/Gizmodo
O que é
Novo smartwatch com recursos similares ao Series 6 da Apple, porém mais barato
Preço
A partir de US$ 280 (No Brasil, a partir de R$ 3.799)
Curti
Desempenho rápido no watchOS 7 graças ao processador S5; você obtém todos os recursos básicos de um smartwatch premium por um preço um pouco menos caro
Não curti
Sinto falta da tela sempre ativa

Entramos em muitos detalhes em vários artigos sobre o watchOS 7, então não vou repetir os novos recursos do software aqui.

Minhas impressões gerais são: as novas interfaces do relógio são lindas! O temporizador de lavagem das mãos é super útil nestes tempos de pandemia! O monitoramento do sono é muito básico e meio sem graça! Você pode finalmente editar seus objetivos de Exercícios e de Ficar em Pé! Não sinto falta do Force Touch! Os novos modos de exercício são bons, mas quando o relógio me permitirá monitorar séries e repetições?

Mas com relação ao Watch SE, o mais importante é que as atualizações avançadas do watchOS 7 não o atrapalham. Embora tenha havido reclamações na internet de que o watchOS 7 está sobrecarregando a bateria do Series 4 e causando reinicializações aleatórias no Series 3, eu não tive esses problemas com o Watch SE.

Os tempos de carregamento do aplicativo são super rápidos. Baixar aplicativos e atualizações também é rápido. Em comparação com minhas experiências com o Series 3 e o Series 4, o recurso de a tela acender de acordo com o movimento é rápido o suficiente para que eu quase não sinta falta da tela sempre ativa do Series 5.

Em termos de design, se você já viu um Apple Watch, sabe como é o SE. Quase nada mudou aqui. Como os Series 4 e 5, ele vem em versões de 40 mm ou 44 mm. A principal diferença é que você tem menos opções de material e cor. Ele só está disponível em prata, dourado ou cinza espacial em alumínio — nada extravagante como aço inoxidável, vermelho ou azul. No entanto, todas as pulseiras são compatíveis, então ainda há muitas maneiras de mostrar sua personalidade.

Quanto ao conforto, o SE de 40 mm é apenas 0,3 grama mais leve do que o Series 5 básico — mas 0,3 grama é algo perceptível. Parecia mais leve no meu pulso, o que foi ótimo quando eu o usei durante a noite toda.

Em relação ao monitoramento de condicionamento físico e precisão da frequência cardíaca, não encontrei grandes diferenças entre o meu Series 5 e o SE. Em várias corridas ao ar livre, os registros de distância que consegui com o Watch SE foram consistentes com as que eu obteria com o Series 5. Eles também estavam no mesmo nível dos resultados do meu Fitbit Sense e do aplicativo de corrida no meu telefone.

Por exemplo, uma corrida de 4,47 quilômetros registrada pelo meu celular foi registrada como 4,36 quilômetros no Watch SE e 4,38 quilômetros no Fitbit Sense. Em outro dia, o Series 5 registrou 4,34 quilômetros nesse mesmo percurso.

Para a frequência cardíaca, os resultados que obtive com a cinta torácica Polar H10 corresponderam aos do Watch SE com uma variação dentro de 5 batidas por minuto.

Ainda é ótimo no monitoramento de exercícios físicos. Foto: Victoria Song/Gizmodo

A duração da bateria, como mencionei brevemente antes, é melhor no Watch SE em comparação com os modelos mais antigos. Curiosamente, também não está muito longe da duração da bateria do Series 6 do meu parceiro (embora o dele dure um pouco mais e seja muito mais rápido no carregamento). Descobri que o monitoramento de sono geralmente esgota a bateria em cerca de 15-20% por noite. Quanto à atividade, o relógio é mais do que capaz de lidar com 30-90 minutos de atividade externa usando o GPS sem esgotar antes de dormir.

De modo geral, eu nunca tive problemas para fazer a bateria durar 24 horas e até um pouco mais, mesmo nos meus dias mais ativos. O máximo que obtive com uma única carga foi 36 horas. Isso é pouco em comparação com um Fitbit, mas 36 horas é muito bom para um Apple Watch.

Não é perfeito, entretanto. Se você deseja monitorar o sono, deve planejar quando carregá-lo. Houve algumas noites em que decidi pular completamente o monitoramento do sono porque eu tinha menos de 20% da bateria na hora de dormir e não queria esperar mais meia hora para carregar.

Eu realmente acredito que maioria das pessoas que querem notificações básicas, conexão móvel embutida e monitoramento de condicionamento físico ficaria muito feliz com o Watch SE. Mesmo assim, existem alguns casos em que o Series 6 é mais apropriado.

Por exemplo, algumas pessoas sugeriram que o Watch SE seria ótimo para pessoas mais velhas ou crianças. Não estou aqui para fazer julgamentos sobre pessoas que têm condições financeiras de presentear uma criança com um smartwatch, mas discordo que este seja o relógio que você desejaria para um pai ou mãe mais idosos.

O Series 6 de 44 mm do meu parceiro (à esquerda) e o Apple Watch SE de 40 mm. Você realmente não consegue distinguir de primeira. Foto: Victoria Song/Gizmodo

Aqui está o porquê. Embora o Watch SE tenha detecção de queda, chamada de emergência e notificações de batimentos cardíacos altos, baixos e irregulares, ele não possui monitoramento de ECG e de oxigênio no sangue.

Vale lembrar que o Series 6 não é um dispositivo médico e a Apple afirma explicitamente que ele não deve substituir um médico no tratamento de doenças como a fibrilação atrial. Dito isso, se seus pais têm problemas cardíacos conhecidos, você provavelmente gostaria que eles tivessem todos os recursos de monitoramento de saúde disponíveis, incluindo o aplicativo de ECG.

Quanto ao monitoramento do oxigênio no sangue, no momento, é uma métrica muito passiva. Isso é verdade para a grande maioria dos wearables que empregam sensores de SpO2, não apenas para a Apple. Mas, dado que a Apple iniciou três estudos clínicos, é provável que, em um ou dois anos, possamos começar a ver aplicações mais avançadas para o sensor de SpO2.

Se você deseja que seu aparelho continue atualizado no futuro, ou simplesmente quer garantir que seu pai ou sua mãe tenham acesso aos recursos de saúde mais avançados, o Series 6 é um investimento melhor.

Também é preciso levar em consideração que ele não tem uma tela sempre ativa. Pessoalmente, esse era um dos meus novos recursos favoritos no Series 5 — não por eu me importar em ver minhas notificações enquanto meu pulso estava para baixo. Eu não me importo com isso.

Apesar do meu ceticismo inicial, acabei amando porque, quando estava malhando, conseguia facilmente controlar quanto tempo ainda tinha em uma série ou corrida. Passar da tela escura e inativa para a tela ativa é muito conveniente e ajuda a mantê-lo no ritmo.

Não que o Watch SE demore a acender. É muito rápido, na verdade. A questão é que quando você está fazendo exercícios baseados em tempo — como EMOMs ou intervalos — ou se você está fazendo a posição da prancha, não vai querer sacudir o pulso para cima.

O Series 6 (esquerda) possui um sensor cardíaco elétrico e o sensor SpO2. O Watch SE (à direita), não. Foto: Victoria Song/Gizmodo

Este pode ser o caso de eu saber o que estou perdendo. No entanto, depois de cerca de duas semanas, ainda me encontro ocasionalmente com saudade da tela sempre ativa. Se você nunca teve um relógio com display sempre ligado ou possui um Series 4 ou anterior, provavelmente não vai sentir falta disso. Afinal, estamos falando de talvez um quarto de segundo, ou meio segundo de diferença, no máximo. (Você pode verificar a rapidez com que o SE é ativado neste vídeo.) Reconheço que estou sendo dramática, mas esta é a maior reclamação que tenho sobre o Watch SE no meu uso diário.

Não há dúvida de que o Series 6 é melhor do que o Watch SE. Apenas é. Mas vale os US$ 120 extra? Depende. Se você estiver trocando um Series 2 e deseja o melhor e mais recente? Claro! Você já sabe que adora o Apple Watch; não se torture com hardware obsoleto só porque as atualizações são incrementais. Se você tem um Series 4 que está lidando bem com o watchOS 7? Pense duas vezes. Essa dica vale o dobro se você tiver um Series 5. Por favor, segure a emoção e considere as consequências ecológicas de compras desnecessárias.

Eu gosto da nova interface do Stripes, embora geralmente prefira coisas mais complicadas. Foto: Victoria Song/Gizmodo

Minha opinião, talvez polêmica, é que se este é seu primeiro Apple Watch e você tem um atestado de boa saúde, você deve optar pelo Watch SE. Como observamos em nossa análise, o Series 6 é uma atualização iterativa. Se você ainda não ama o ecossistema Apple, não deve jogar esvaziar sua carteira apenas para descobrir o que acha dele. Você ainda pode trocar e atualizar se recursos futuros de SpO2 ou ECG se tornarem relevantes para sua vida.

Além disso, tenho um palpite de que a maioria das pessoas jovens e saudáveis não costuma usar alguns desses recursos avançados de saúde. Para ser extremamente honesta, fora dos testes, eu nunca realmente abri o aplicativo de ECG quando tinha o Series 4 e o Series 5. Não tinha motivo para isso. Eu faço 3-4 horas de cardio por semana. Eu sempre faço exames físicos regulares com meu médico, que diz que meu coração está em excelente forma.

Fora do modo Testadora Oficial de Wearables, eu uso principalmente meu Apple Watch para monitorar meus treinos, definir cronômetros, irritar a Siri e ser notificada quando meu chefe está me chamando no Slack. Se você também é assim, o Watch SE é mais do que suficiente para atender às suas necessidades.

Mas e o medo de não saber sobre o seu nível de oxigênio no sangue? Admito que isso é real, mas, como disse antes, ainda não é uma métrica precisa. Sejamos honestos: a menos que você seja um nerd obcecado por dados ou extremamente preocupado com a saúde, provavelmente se esquecerá de verificar depois de algum tempo, pois o recurso está lá principalmente para ajudá-lo a perceber quando há alguma irregularidade.

Foto: Victoria Song/Gizmodo

A menos que sua prioridade seja o monitoramento de saúde avançado e você quer continuar tendo atualizações de recursos de saúde no futuro, ou que você realmente ame uma tela sempre ativa, você deve optar pelo Watch SE. Eu prometo que você não vai se sentir enganado.

Se você não tem certeza se gosta de smartwatches o suficiente para gastar US$ 400, então com certeza o Watch SE é a escolha certa. Nem olhe para o Series 3 de US$ 200. Nem pense nisso para seus filhos, já que ele nem mesmo suporta o recurso Family Setup para o qual o relógio mais barato parece perfeito. Embora o Series 3 seja um ótimo smartwatch, seu tempo passou. Agradecemos por seu serviço e desejamos uma feliz vida após a morte.

Esse conselho pode mudar no futuro. Quem sabe? O Series 7 do ano que vem pode apresentar um chip mais rápido e componentes atualizados ainda mais impressionantes. O Series 8 pode ser ainda mais rápido do que isso. Talvez o watchOS 9 seja muito pesado até mesmo para o chip S5. Em algum momento, o Watch SE pode deixar de ser um bom negócio se ele também não receber atualizações. Mas agora? O Watch SE supera as expectativas e é o melhor Apple Watch para quem não quer gastar muito.

Leia-me

• Os mesmos sensores de movimento e tamanho de tela do Series 6 e o mesmo processador S5 do Series 5.
• Notificações de frequência cardíaca, detecção de quedas, chamadas de emergência, configuração familiar, altímetro sempre ligado, Apple Pay e conexão movem embutida estão todos lá.
• As principais limitações são materiais premium, opções de cores, ECG, o display sempre ativo e o sensor de SpO2 para monitoramento de oxigênio no sangue.
• O desempenho é quase idêntico ao do Series 5 no uso diário.
• Melhor bateria do que as gerações anteriores, mas você ainda terá que carregá-la todos os dias.