Chefões do tráfico de drogas têm usado submarinos caseiros para transportar cocaína da Colômbia para os EUA já há alguns anos, mas as máquinas estão ficando cada vez mais sofisticadas, às vezes empregando até sistemas de controle remoto.

080916-G-0000A-002 080913-N-0000F-107 080913-N-0000F-087 SPSS 04 071608

Os submarinos não são submarinos de verdade, já que sempre têm uma porção da embarcação sobre a água. Mas com menos de 45cm pra fora d’água, eles são difíceis de detectar usando radar, mesmo tendo comprimentos entre 12 e 24 metros e transportando 4 a 12 toneladas do pó branco e 4 pessoas dentro (ou nenhuma se for controlado por controle remoto!). Eles se movem lentamente usando motores a diesel e até 5700 litros de combustível. Eles conseguem fazer a viagem a uma velocidade de 6-12 nós com um único tanque. Ha! Como se pudessem reabastecer em algum lugar! As embarcações levam mais de um ano para fazer, são feitas de acrílico/madeira ou aço e custa 2 milhões de dólares. Não muito caro, considerando que uma viagem pode levar até 200 milhões de dólares em carga do Equador até a cidade de São Diego, ao sul da Califórnia.

Eis algo preocupante:

“…se você consegue transportar tamanha quantidade de cocaína, o que mais você poderia colocar em um semi-submersível. Será que dá pra colocar uma arma de destruição em massa nele?” Almirante da Marinha dos EUA Kim Stavridis, Comandante