A carreira musical de R. Kelly foi acompanhada por uma longa história de alegações de que ele abusou sexualmente de mulheres e crianças. Agora, o cantor de R&B pode ficar atrás das grades por um quarto de século ou mais quando for sentenciado na quarta-feira (29) em um tribunal federal na cidade de Nova York. As informações são da Associated Press

Segundo a agência de notícias norte-americana, a juíza distrital dos EUA Ann Donnelly deve impor a sentença em um tribunal federal no Brooklyn depois de ouvir declarações das vítimas e possivelmente do próprio Kelly.

Os promotores estão buscando um mandato mínimo de 25 anos, enquanto a defesa diz que uma sentença de 10 anos ou menos é tudo o que ele merece. Os advogados de R. Kelly argumentaram em documentos judiciais que ele deveria ter uma pausa em parte porque ele “viveu uma infância traumática envolvendo abuso sexual infantil severo, pobreza e violência”.

Eles acrescentaram: “Sua vitimização continuou até a idade adulta, onde, por causa de suas deficiências de alfabetização, o réu foi repetidamente defraudado e abusado financeiramente, muitas vezes pelas pessoas que ele pagou para protegê-lo”.

R. Kelly, nascido Robert Sylvester Kelly, foi acusado de usar seu dinheiro, fama e rede de gerentes de negócios, seguranças, assistentes, advogados e outros para facilitar o abuso de mulheres e menores por quase três décadas. O julgamento de 2021 foi um dos casos de maior destaque na indústria da música a partir do Movimento #MeToo. Além disso, é também um dos casos mais proeminentes em que as vítimas eram em sua maioria mulheres negras.

Conhecido pela canção “I Believe I Can Fly”, o júri condenou o artista depois de ouvir sobre como ele usou sua comitiva de assessores para conhecer garotas e mantê-las obedientes, uma operação que os promotores disseram ser criminosa. Vários pessoas testemunharam que Kelly os submeteu a caprichos perversos e sádicos quando eram menores de idade.

R. Kelly usou sua “fama, dinheiro e popularidade” para sistematicamente “predar crianças e mulheres jovens para sua própria gratificação sexual”, escreveram os promotores em seu próprio arquivo no início deste mês.

Outras testemunhas, incluindo ex -namoradas e ex-funcionários de Kelly, descreveram um sistema de abuso que manteve as vítimas morando com ele, incapazes de sair dos quartos sem sua permissão e estupradas por Kelly ou outras pessoas. 

Os casos de má conduta sexual de Kelly com mulheres jovens e crianças foi apresentada na série documental “Surviving R. Kelly ”, que deu voz a vítimas que se perguntavam se suas histórias eram anteriormente ignoradas por serem mulheres negras. Confira ao trailer da produção:

Além dos casos analisados pelos promotores federais de Nova York, R. Kelly também passará por um segundo julgamento em agosto, que pode lhe render condenações adicionais. Nele, os promotores de Chicago acusam-no de posse de pornografia infantil e obstrução da justiça.