Muitos smartphones gamers têm um mesmo padrãozão. Mas isso não é um problema para o novo ROG Phone 3, da Asus, que possui especificações impressionantes, iluminação RGB e possivelmente o desempenho mais responsivo que já experimentei em um telefone.

Embora eu tenha tido a chance de usar o telefone apenas por alguns dias, o design sem nenhum medo de ser gamer do ROG Phone 3 é meio cativante. Com uma tela AMOLED de 6,59 polegadas, o ROG Phone já é enorme, mesmo para os padrões da atualidade, mas como o aparelho da Asus também possui molduras acima e abaixo da tela, parece ainda maior do que é. E pesando 240 gramas, o ROG Phone 3 é também um dos smarpthones mais pesados do mercado.

Na traseira, a Asus conta com seu logotipo exclusivo da série ROG (Republic of Gamers), que tem iluminação RGB personalizável completa, além de algumas linhas abstratas que provavelmente devem lembrá-lo de uma placa de circuito ou algo assim, além de câmeras traseiras duplas.

A novidade do ROG Phone 3 é uma seção clara que permite ver o túnel de vento interno do telefone, projetado para funcionar com o ventilador de refrigeração adicional da Asus (falarei mais sobre isso adiante). A marca teve até mesmo a ousadia de escrever “sistema aerodinâmico” embaixo do vidro, para que não haja dúvida seu funcionamento. É uma afirmação tão desnecessária que você acaba até curtindo: o design dos telefones é quase uma afronta aos aparelhos super elegantes que os principais fabricantes de dispositivos, como Apple e Samsung, têm promovido.

Botões do Asus ROG Phone 3. Crédito: Sam Rutherford/GizmodoSistema aerodinâmico. Crédito: Sam Rutherford/Gizmodo

Dito isto, todas as luzes de neon e aberturas de ventilação do mundo não significam muito se o ROG Phone 3 não tiver o desempenho necessário que se espera de tal aparelho, não é? Bem, ele corresponde.

Não só o ROG Phone 3 tem o novo chip Qualcomm Snapdragon 865+ com 5G, como a empresa desenvolvedora do SoC (System on a Chip) alega oferecer gráficos e desempenho 10% melhores do que um chip Snapdragon 865.

Para a versão deste ano do smartphone gamer, a Asus também aumentou a taxa de atualização da tela do ROG Phone 3 para 144 Hz, além de reduzir a latência ao toque para apenas 25 ms.

A partir do momento em que você pega o telefone os efeitos de toda essa velocidade são instantaneamente reconhecíveis. Parece que o telefone responde instantaneamente a qualquer coisa que você faça, independentemente de ser um simples gesto ou abrir um aplicativo.

Quanto às suas credenciais gamers, realmente gosto do que a Asus fez para oferecer suporte ao uso do telefone no modo paisagem.

Em vez de usar alto-falantes fracos montados na parte inferior, o ROG Phone possui áudio estéreo de acionamento frontal que produz um bom volume. Esse telefone é barulhento demais.

Mais importante ainda, além da porta USB-C usual na parte inferior, a Asus também incluiu uma USB-C na lateral do telefone, que fica na parte de baixo quando você segura o telefone de lado. Isso significa que você pode conectar facilmente um par de fones de ouvido ou um carregador enquanto joga sem que nada fique atrapalhando.

No entanto, o ROG Phone 3 não atinge seu verdadeiro potencial até você conectar o acessório GameCool 3, que vem incluso. Ele adiciona um ventilador a um prático conector de áudio de 3,5 mm e até um suporte. Agora admito que colocar um ventilador em um telefone é provavelmente mais estiloso do que funcional. Embora a Asus diga que ele pode reduzir a temperatura da superfície do ROG Phone 3 em até 4,4 graus Celsius, esse pequeno ventilador também ajudar a manter as mãos secas, o que é algo que os jogadores de smartphone com certeza vão apreciar.

Asus ROG Phone 3Detalhe do mecanismo que aciona o modo de alto desempenho ao dar uma apertada no aparelho. Crédito: Sam Rutherford/Gizmodo

Mas talvez a minha adição favorita ao ROG Phone 3 sejam os novos sensores de pressão integrados à lateral do telefone. Já vimos outros dispositivos, como os telefones Pixel, usarem tecnologias semelhantes antes, normalmente para fazer coisas como chamar o Google Assistente. Mas no ROG Phone 3, a Asus configurou os seus sensores de pressão para ativar o modo X, que não apenas acende a iluminação RGB do telefone, como também ativa o perfil de alto rendimento, além de alterar o plano de fundo padrão do telefone de azul para vermelho. É uma bobagem, mas é incrível.

Enquanto isso, quando se trata de jogar, a Asus fez uma parceria com a fabricante de componentes ultrassônicos Sentons para melhorar os AirTriggers do telefone, que servem como botões personalizáveis baseados em toque. A grande atualização para o ROG Phone 3 é que os gatilhos (como são chamados tecnicamente os botões L e R de um joystick) podem detectar gestos de toque e deslizar, e cada gatilho pode ser dividido em dois botões diferentes, caso você precise de quatro botões em vez de apenas dois.

Se isso ainda não for o suficiente, o ROG Phone 3 suporta controles na tela totalmente personalizáveis que funcionam em quase todos os jogos. O ROG Phone 3 também é um dos primeiros telefones que usei com o Google Stadia pré-instalado, o que é uma jogada interessante, pois sugere que fabricantes independentes estão começando a comprar a ideia de jogos baseados em nuvem.

Asus ROG Phone 3Acessório Game Cool, do Asus ROG Phone 3. Crédito: Sam Rutherford/Gizmodo

Finalmente, a ancoragem de toda essa tecnologia é uma bateria gigante de 6.000 mAh, que é a maior capacidade que a Asus conseguiu colocar dentro do ROG Phone 3 sem torná-lo um tijolão. Para lhe dar uma noção, o Galaxy S20 Ultra (que é um telefone enorme) oferece uma bateria de 5.000 mAh.

Além disso, a Asus também incluiu um modo de carregamento de baixa tensão e com controle de calor aprimorado para garantir que, mesmo com uso pesado e vários ciclos de recarga, a  bateria do ROG Phone 3 não se desgaste tão rapidamente quanto as de outros telefones.

Asus ROG Phone 3Crédito: Sam Rutherford/Gizmodo

Olha, eu sei que o ROG Phone 3 não é para todo mundo, mas de alguma maneira é isso que o torna especial. Ele foi criado para gamers de celular que desejam taxas altas de atualização de tela e botões integrados. Ele tem especificações bestiais, uma duração monstruosa de bateria e um design que agrega tudo de forma agressiva, e estou ansioso para passar mais tempo com ele para realmente ter uma ideia de como ele se comporta no mundo real.

Infelizmente, o aparelho provavelmente não será barato. Embora a Asus ainda não tenha revelado os preços oficiais, é esperado que custe o mesmo (ou talvez um pouco mais) que o ROG Phone 2 do ano passado, lançado por US$ 900 nos EUA — no Brasil, o aparelho partia de R$ 4.500. Também não está claro quando o aparelho deverá estar disponível — a Asus disse apenas para ficar atento a mais informações em setembro.